Fabio Motta/AE
Fabio Motta/AE

Completo, Corinthians empata com Botafogo no Engenhão

Ronaldo joga, perde várias chances, reclama de pênalti e não consegue dar ao clube a 1.ª vitória no Brasileirão

André Rigue, estadao.com.br

17 de maio de 2009 | 20h20

Com força máxima no Rio de Janeiro, o Corinthians apenas ficou no empate sem gols diante do Botafogo, no Engenhão, na noite deste domingo, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado deu ao clube de Parque São Jorge seu primeiro ponto, enquanto o rival carioca empatou pela segunda vez.

 

Veja também:

linkPara Mano, Corinthians tem de mudar postura para quarta

especial Visite o canal especial do Brasileirão

especial Jogue o Desafio dos Craques

tabela Brasileirão Série A - Classificação e Calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão 

 

O técnico Mano Menezes surpreendeu ao escalar os titulares para enfrentar o Botafogo - o atacante Jorge Henrique, que começou no banco, e o zagueiro William, machucado, foram os únicos ausentes. Pelo time carioca, Ney Franco não pôde contar com Reinaldo, Maicosuel e Alessandro.

 

O Corinthians pecou na atenção no começo da partida e ficou vulnerável perante o Botafogo. O time tomou um grande susto logo aos 5 minutos. Dentro da área, o atacante Jean Coral aproveitou a bobeada da zaga para dar uma bicicleta. A bola passou perto do canto esquerdo de Felipe.

 

À beira do gramado, Mano Menezes gritou com Chicão, pedindo atenção na linha do impedimento, e com Dentinho, cobrando uma maior agilidade. Contudo, foi Ronaldo que criou a primeira boa chance. Aos 23 minutos, o Fenômeno foi lançado por Elias, invadiu a área e deu um biquinho. O goleiro Renan ficou batido na jogada, mas a bola foi para fora.

 

A melhor oportunidade de gol no primeiro tempo foi com o lateral-esquerdo André Santos. Aos 28 minutos, o jogador passou por dois marcadores do Botafogo e bateu. Renan, no entanto, saiu bem do gol e abafou o lance. Ronaldo, que estava livre e pedia o passe, ainda tentou brigar pela bola, mas acabou desarmado.

 

Ronaldo ainda reclamou de um pênalti não marcado no primeiro tempo ao ter a camisa puxada em cobrança de falta por Fahel. O árbitro Carlos Eugenio Simon, no entanto, marcou infração de Dentinho em outro lance.

 

Ney Franco viu a superioridade do Corinthians e mudou para o segundo tempo. Gabriel e Tony

 Botafogo0
Renan; Leandro Guerreiro, Juninho e Wellington (Gabriel); Thiaguinho, Fahel, Túlio Souza (Léo Silva), Rodrigo Dantas e Eduardo    ; Jean Coral (Tony) e Victor Simões
Técnico: Ney Franco
 Corinthians0
Felipe; Alessandro    , Diego    , Chicão e André Santos; Cristian, Elias, Morais (Boquita) e Douglas; Ronaldo (Souza) e Dentinho (Jorge Henrique)
Técnico: Mano Menezes
Árbitro: Carlos Eugenio Simon (FIFA/RS)

Renda: R$ 187.162,50

Público: 14.528 pagantes

Estádio: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)

entraram nas vagas de Wellington e Jean Coral, respectivamente. O time adotou uma nova postura e foi para o ataque. Aos 3 minutos, Túlio Souza recebeu dentro da área e bateu. Felipe fez a defesa.

 

As esperanças do Corinthians estavam depositadas em Ronaldo. Mas o Fenômeno desperdiçou uma excelente chance aos 17 minutos. Morais puxou contra-ataque, viu o atacante entrar livre na área e fez o passe. Ronaldo tentou passar por Renan, mas acabou desarmado - pouco após o lance, Ronaldo foi substituído por Souza.

 

Fora o lance de Ronaldo, o Botafogo mandou no segundo tempo. E o clube só não venceu devido ao pé salvador do zagueiro Diego. Aos 37 minutos, o atacante Tony entrou na área. No momento em que ele preparava o chute, o defensor corintiano apareceu e desviou pela linha de fundo. Sua atuação foi decisiva para que a partida terminasse no 0 a 0.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.