Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Comportado após multa, Felipe Melo vira exemplo para Deyverson no Palmeiras

Dupla vivencia broncas e necessidade de reagir a problemas causados por expulsões

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2019 | 04h30

Conhecido por polêmicas na carreira, o volante Felipe Melo virou exemplo de conduta no Palmeiras. A diretoria torce para que o atacante Deyverson, multado em R$ 350 mil por cuspir no corintiano Richard, consiga repetir a trajetória do colega, que no ano passado recebeu punição semelhante (em dinheiro) e desde então tem exibido comportamento exemplar.

Deyverson levou bronca e foi multado pela diretoria na terça-feira por ter sido expulso no último sábado. O quinto cartão vermelho dele em 66 jogos pelo clube provocou a fúria da diretoria. Mesmo que o clima para o atacante esteja desfavorável e dirigentes defendam a sua negociação, dentro do Palmeiras há a torcida para que ele ao menos consiga recuperar sua imagem.

Antes de Deyverson, quem havia protagonizado um caso de indisciplina semelhante foi Felipe Melo. No ano passado, o volante foi expulso com apenas três minutos de jogo contra o Cerro Porteño, pelas oitavas de final da Copa Libertadores. O lance complicou a missão do Palmeiras e por pouco o clube não acabou eliminado da competição naquela noite, pois teve de atuar por mais de 90 minutos – acréscimos incluídos – com um jogador a menos.

No dia seguinte, Felipe Melo teve duas reuniões. A primeira foi com o técnico Luiz Felipe Scolari. A segunda, com a diretoria. O teor das conversas foi acalmá-lo e ressaltar que uma expulsão tola poderia prejudicar toda a equipe. 

Os encontros serviram para avisá-lo também sobre uma multa. Felipe Melo teve 10% descontado do salário (cerca de R$ 35 mil). Depois do episódio, o jogador levou menos cartões, não foi mais expulso e chegou até mesmo a ser capitão do Palmeiras em algumas partidas.

Nesta temporada, Felipe Melo atuou em quatro jogos e levou apenas um cartão amarelo. Ao fechar o ano passado como campeão brasileiro, ele chegou a despertar interesse do Boca Juniors e do Flamengo na janela de transferências. Mas decidiu ficar.

Felipe Melo teve um episódio ainda mais grave no Palmeiras. Em 2017, ele foi afastado do elenco por 40 dias depois de brigar com o então técnico Cuca. O volante só voltou a atuar quando o treinador deixou o cargo.

Para Entender

Guia do Paulistão 2019: tudo o que você precisa saber sobre a competição

Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo vão iniciar competição com menos de três semanas de pré-temporada

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.