Conaf pede rigor com cartões em comemorações excessivas

Intenção é evitar novas brigas como a ocorrida em SC; só não pode dançar o 'Créu' se for para provocar

Redação

03 de abril de 2008 | 13h27

As comemorações que o árbitro considerar exageradas deverão ser punidas. Esta é a ordem do presidente da Comissão Nacional de Arbitragem (Conaf), Sérgio Corrêa da Silva, que resolveu exigir a prática de uma medida da Fifa motivado principalmente pela confusão no jogo Figueirense 0 x 2 Avaí, pelo Campeonato Catarinense, no último final de semana.Na ocasião, após o segundo gol do Avaí, o atacante Bebeto comemorou seu gol em frente à torcida do Figueirense, mostrando seu número da camisa, e o meia Marquinhos executou ao funk "Dança do Créu", também para os torcedores rivais. Por causa disso, uma briga generalizada tomou conta do campo do Estádio Orlando Scarpelli."Os árbitros correm para o meio do campo e esquecem o que acontece. Tem de tomar providências sobre essas comemorações. O árbitro, porém, não deve só punir. Tem de prevenir. No caso do domingo, em Santa Catarina, se ele tivesse visto, iria até ao jogador e tomaria as medidas disciplinares, evitaria o tumulto", disse Silva, em entrevista ao SporTV.O controle nas comemorações, porém, não significa que o jogador não poderá comemorar com sua própria torcida, ressalta o presidente da Conaf. Assim, gestos como mandar a torcida calar a boca, mandar "bananas" e coisas do gênero estão vetadas. Já a "Dança do Créu" pode, desde que não para ofender a torcida adversária. 

Tudo o que sabemos sobre:
CBFConafarbitragem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.