Divulgação
Divulgação

Concentração de vascaínos perto do Maracanã está proibida

Justiça do Rio fecha o cerco contra a torcida Força Jovem

O Estado de S.Paulo

20 Março 2015 | 18h25

A Justiça do Rio está fechando o cerco contra a organizada Força Jovem, do Vasco, flagrada recentemente em tumultos e brigas. Nesta sexta-feira, o juiz Marcello Rubioli pediu a prisão preventiva de 12 integrantes da facção, acusados de terem participado de um confronto no Engenhão durante o clássico entre Vasco e Fluminense, em fevereiro.

Além disso, o magistrado proibiu a concentração de membros da facção, domingo, na rampa da Universidade Estadual do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), ao lado do Maracanã. A decisão é uma tentativa de evitar confrontos durante o clássico entre Vasco e Flamengo, pelo Campeonato Carioca, marcado para o mesmo dia.

Segundo nota do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ), a medida foi aconselhada pelo Ministério Público, que apurou a possibilidade de confusões no local. A organizada está banida das praças esportivas há cerca de um ano por práticas violentas. 

Para evitar que a violação se repita, o juiz Rubioli aumentou o valor da multa de R$ 20 mil para R$ 50 mil por integrante identificado, ou por jogo em que houver descumprimento. A decisão também diz que o infrator deverá ser retirado compulsoriamente da praça esportiva.

O juiz explicou a atitude. "É estarrecedor apurar que a índole da ré e dos seus membros é não só desobedecer o comando judicial, como continuar a praticar e fomentar a violência nas praças esportivas. Assim, urge, em defesa dos consumidores e famílias, que sejam tomadas medidas enérgicas."

Mais conteúdo sobre:
futebol Vasco Justiça torcida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.