Concentração é arma do São Caetano

Preocupado com o eventual "clima de vingança" dos jogadores do São Caetano sobre o América do México, o técnico Muricy Ramalho preferiu pedir ao grupo que tenha mais calma e que use a concentração como grande arma para superar o adversário . Os times vão se enfrentar duas vezes em menos de uma semana, valendo uma vaga nas quartas-de-finais da Taça Libertadores da América. O primeiro confronto acontecerá nesta quarta-feira, no estádio Anacleto Campanella, e o segundo está marcado para o dia 11, na Cidade do México.Nestes duelos o São Caetano terá a chance de se vingar das duas derrotas iniciais sofridas na primeira fase da competição. Tanto no Brasil como no México, o placar foi o mesmo: 2 a 1. Muricy Ramalho acho que os jogadores já aprenderam tudo sobre o adversário e que, a gora, o desafio é justamente superá-lo em campo. "Nas duas vezes cometemos erros que favoreceram os mexicanos. Também estávamos nas fases decisiva do Campeonato Paulista. Isso tirava um pouco da concentração. Agora, temos que mostrar em campo por onde ganhar o jogo. Não faremos grandes modificações, mas o suficiente para bloquear a ação adversária e criar boas jogadas de ataque", explica o treinador.Com relação ao time, a idéia é mesmo manter a mesma base dos últimos jogos. Os jogadores se apresentaram nesta segunda-feira à tarde no estádio Anacleto Campanella para treinos leves. A novidade foi a presença do zagueiro Dininho, treinando normalmente e sem sentir dores no joelho. Ele pode retornar no lugar de Gustavo. No ataque, Somália e Euller devem brigar por uma vaga ao lado de Fabrício Carvalho. O time folga pela manhã e faz um treino tático nesta terça-feira à tarde.Por causa do segundo jogo, dia 11, terça-feira, na Cidade do México, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu antecipar o jogo contra o Criciúma pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. De domingo, dia 9, passou para sábado, dia 8, às 16 horas, no Estádio Anacleto Campanella.O ingressos para o jogo de quarta-feira começam a ser vendidos a partir desta terça-feira, no Estádio Anacleto Campanella, ao preço de R$ 10.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.