Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Concessionária propõe um shopping ao lado do Maracanã

Grupo não cogita devolver a concessão para o Governo do Rio de Janeiro

WILSON TOSTA, O Estado de S. Paulo

26 de agosto de 2013 | 08h00

RIO - O Complexo Maracanã Entretenimento, concessionário do estádio, entregará ao governo do Rio nesta segunda-feira uma proposta para manter a concessão mediante a construção de um shopping e um estacionamento na área destinada ao Parque Glaziou, ao lado da Quinta da Boa Vista. As novas construções,com uma área de lazer de 85 mil metros quadrados, constituem a principal alternativa da empresa, controlada pela empreiteira Odebrecht, depois que o governo estadual recuou da demolição do Estádio Célio de Barros e do Parque Aquático Júlio Delamare.

Pelo novo projeto, uma passarela ligaria os novos prédios, situados do outro lado da via férrea, ao Maracanã. O Estado apurou que o concessionário trabalha nesta proposta, com algumas alternativas não muito diferentes da original, mas não cogita devolver a concessão ao governo. Pelo contrato, o Estado, se decidir retomar o estádio, terá de arcar com despesas e multas e, entre recursos que deixará de receber e gastos com manutenção, terá despesa de R$ 2,6 bilhões, ao longo de 35 anos, considerando a cotação atual.

Uma alternativa envolvendo a possível participação dos clubes cariocas na administração do Estado é vista com ceticismo, devido aos problemas que enfrentam para cuidar de seus próprios negócios. O concessionário, porém, segundo apurou o Estado, encara a situação com tranquilidade, porque já é o administrador do complexo. Está marcado para esta segunda-feira um protesto do Comitê Popular da Copa e Olimpíada para a porta do edifício onde fica a Odebrecht, em Botafogo. Os manifestantes vão protestar contra a concessão do Maracanã e exigir a sua devolução ao poder público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.