Condenado a 16 anos de prisão por morte de palmeirense, corintiano desmaia ao ouvir sentença

Leonardo Gomes dos Santos, Raimundo César Faustino e Gentil Chaves Siani foram julgados nesta quinta-feira

O Estado de S.Paulo

23 de março de 2017 | 16h18

Condenado a 16 anos de prisão pela morte do torcedor palmeirense Gilberto Torres Pereira, o corintiano Leonardo Gomes dos Santos desmaiou ao ouvir a sentença nesta quinta-feira. O caso aconteceu em agosto de 2014, durante briga na estação Franco da Rocha da CPTM.

Além de Leonardo, também foram condenados Raimundo César Faustino, conhecido como Capá, a 21 anos de prisão e Gentil Chaves Siani, a 18 anos. Os advogados dos réus entraram com recursos por acreditarem que as penas são elevadas e não existem provas suficientes para a condenação.

O julgamento no Fórum de Franco da Rocha, na Grande São Paulo, começou por volta das 10h30 de quarta-feira e durou até a madrugada. Já pela manhã, o Juiz Rafael Carvalho de Sá Roriz deu sua sentença, e o trio, que já estava preso desde 2014, foi condenado por homicídio qualificado, motivo fútil e pelo estatuto do torcedor. Ao todo, o júri composto por sete pessoas ouviu 13 testemunhas, entre acusação e defesa, além dos réus. 

Relembre o caso

A briga entre corintianos e o palmeirense de 31 anos aconteceu em 17 de agosto de 2014. No dia 20, Gilberto Pereira teve morte encefálica decretada.

Ele sofreu traumatismo craniano, chegou a passar por cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos. A família do torcedor decidiu doar os órgãos. Segundo testemunhas, Pereira recebeu diversos golpes na cabeça, inclusive, tendo Capá utilizado um galho de árvore e fugido no momento em que policiais militarem chegaram no local do crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.