CBF
CBF

Confederações esportivas brasileiras crescem nas redes sociais, diz pesquisa

Segundo o Ibope Repucom, 90% das 56 confederações analisadas mantiveram ou ampliaram o volume de seguidores

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2020 | 08h00

Após o adiamento dos Jogos Olímpicos de 2020 para o próximo ano, o Ibope Repucom divulga a edição 2020 do ranking digital das confederações brasileiras de esporte. Segundo a análise, 90% das 56 confederações analisadas mantiveram ou ampliaram o volume de seguidores em suas bases digitais, em comparação com o último levantamento realizado em junho de 2019 pouco antes da realização dos Jogos Pan-Americanos de Lima.

Em comparação com a última edição do estudo, foram ao todo mais de 2 milhões de novos inscritos nas redes oficiais das confederações esportivas no País, e a Confederação Brasileira de Futebol mais uma vez lidera ao concentrar mais de 1,5 milhão de novos inscritos (77% do total). A plataforma com maior participação no crescimento no período foi o Instagram, que concentrou 78% do total ao somar 1,6 milhão de novas inscrições, seguida pelo YouTube com 422 mil novos inscritos. A CBF lidera o ranking digital entre as seleções de futebol no mundo.

Além da CBF, estão entre as cinco confederações que mais cresceram no período: Vôlei (CBV), Jiu-Jitsu (CBJJ), Basquete (CBB) e Futsal (CBFS). "Nossas análises mostram que a CBF é líder global de seguidores nas redes sociais, o que demonstra que o Brasil segue no lugar mais alto do pódio como país do futebol. Outras confederações como a do Vôlei, Jiu-Jitsu e Basquete ganham visibilidade nas redes sociais revelando nossa capacidade de explorar positivamente o potencial midiático esportivo de outras frentes. Entretanto, esse estudo mostra que existe um enorme espaço de crescimento do engajamento dos fãs brasileiros com seus esportes favoritos. As mídias sociais permitem o exercício da paixão do esporte 24 horas nos 7 dias da semana, e as confederações devem usar suas plataformas digitais para alimentar essa paixão", afirma José Colagrossi, diretor do Ibope Repucom.

O estudo abrangeu o TikTok, nova rede social com grande adoção no meio esportivo atualmente, porém ainda registra baixa adesão por parte das confederações esportivas brasileiras. Apenas 5 confederações esportivas estrearam perfis oficiais no TikTok: Futebol (CBF), Vôlei (CBV), Atletismo (CBAt), Esportes Aquáticos (CBDA) e Esportes no Gelo (CBDG).

A CBV (Confederação Brasileira de Vôlei), segunda entidade que mais cresceu no período e também vice-líder do ranking, registrou 82 mil novos inscritos, 60% através de sua conta no Instagram. A confederação criou sua conta no TikTok e conquistou 20% de crescimento da entidade no período.

A CBJJ (Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu) fecha o pódio de crescimento do período, com 50 mil novos inscritos, 95% provenientes do canal "IBJJF" no YouTube, o segundo maior canal entre as confederações esportivas brasileiras. A confederação de jiu-jitsu possui a peculiaridade de gerir contas no Twitter e YouTube da IBJJF no idioma em inglês, reforçando a relevância internacional do "Brazilian jiu-jitsu".

A CBB (Confederação Brasileira de Basquete) figura em quarto lugar em volume de crescimento, com 43 mil novos inscritos, 77% originários do Instagram. A entidade ultrapassou a Confederação Brasileira de Ginástica no ranking, atingindo a décima posição, além de registrar o maior crescimento percentual do TOP 10, com aumento de 30% de sua base digital desde junho/2019.

A CBFS (Confederação Brasileira de Futsal) fecha o TOP 5 crescimentos somando 28 mil novos inscritos, 72% advindos do Instagram. O perfil da entidade nesta plataforma, inclusive, é atualmente o quinto maior do país entre confederações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.