Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians
Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

Confiante, João Victor diz que Corinthians vai 'brigar lá em cima' no Brasileirão

Equipe corintiana ocupa a 13ª posição no torneio nacional, com apenas duas vitórias em nove jogos

Redação, Estadão Conteúdo

07 de julho de 2021 | 18h28

O jovem João Victor, de 22 anos, forma com o experiente Gil uma das melhores zagas do Brasileirão. Após empréstimos por Inter de Limeira e Atlético-GO, o defensor retornou ao Corinthians e assumiu a titularidade. Embora as atuações e os resultados não venham agradando a torcida, o zagueiro é confiante quanto ao desempenho do time no campeonato e não se importa com as críticas. Segundo ele, é possível brigar entre os líderes.

"Sobre o que o povo fala ou o que os repórteres falam sobre a gente brigar lá embaixo, nós nem levamos em consideração. A gente sabe o tanto que se dedica e trabalha. Vamos brigar lá em cima", prometeu o confiante zagueiro, antes de reforçar. "Depois vocês vão ver onde vamos terminar o campeonato".

O ânimo de João Victor contrasta com o atual desempenho do Corinthians. O time de Sylvinho vem de três empates seguidos e ocupa apenas a 13ª colocação na tabela, com 11 pontos. No momento, está fora, até, da zona de classificação para a Sul-Americana.

Mas há virtudes na equipe. Se a performance ofensiva tem deixado a desejar, a segurança na defesa é algo a ser exaltado. O Corinthians levou apenas sete gols em nove partidas. João Victor e Gil formaram a dupla titular em oito duelos e têm se entendido bem.

"Essa dupla tem dado muito certo, Gil é um cara experiente, que me passa conselhos, que me ajuda na concentração da partida, tenho muito a agradecer. Acho que posso agregar em juventude, em me dedicar, correr numa bola extra, numa saída de bola. Experiência e juventude estão se encaixando bem, espero que a gente siga bem no campeonato", avaliou o jovem jogador.

João Victor vive uma boa fase, mas já falhou em alguns momentos. Ele reconheceu os erros e disse que eles servem de aprendizados. As falhas foram o pênalti que cometeu no empate por 2 a 2 com o São Paulo, no Paulistão, e o vacilo na derrota por 2 a 1 para o líder Red Bull Bragantino, no Brasileirão.

"Não teve nenhuma conversa específica comigo, mas eu sei que errei nos dois lances, tenho autocrítica. A gente nunca entra em campo querendo errar, eu errei, serviu de aprendizado, agora tento estar mais concentrado para não acontecer mais isso. Tenho certeza que não vai", pontuou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.