Rafael Pezzo/ Estadão
Rafael Pezzo/ Estadão

Cafu afirma que Tite pode ficar 'um passo à frente' dos melhores técnicos do mundo

Muito confiante no hexa, capitão do penta acredita que Neymar 'já ultrapassou o nível de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo'

Rafael Pezzo, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2017 | 12h33

Último brasileiro a levantar o troféu da Copa do Mundo, Cafu apresentou o objeto de desejo dos capitães das principais seleções do mundo em evento de uma patrocinadora na manhã desta segunda-feira, no Parque Villa Lobos, na Zona Oeste de São Paulo. 

Em entrevista coletiva, o capitão do pentacampeonato se mostrou muito otimista em relação ao desempenho do time brasileiro na Rússia. "A seleção tem 100% de chance de trazer o troféu para o Brasil. Pela forma como vem jogando, a seleção tem confiança e credibilidade. Acho que a vitória na Olimpíada fez com o Brasil criasse mais confiança e acreditasse mais em si. O povo, os jornalistas e os jogadores acreditam e temos plenas condições de sermos campeões novo."

E para Cafu, muito da melhora da seleção passa pelas mãos do treinador Tite. "Ele deu uma nova cara para a seleção. O time já está entrosado, tem uma identidade, uma filosofia de jogo. Todos sabem a suas posições e a maneira de jogar. O mais bonito da seleção é a divisão de responsabilidade. Antes, era apenas sobre o Neymar. Agora está mais dividido e até por isso o Neymar tem jogado melhor."

E na visão do ídolo, o técnico inclusive já pode ser comparado  aos grandes técnicos do futebol mundial, como Pep Guardiola, José Mourinho, Carlo Ancelotti e Jurgen Klopp. "Claro, ele já mostrava essa qualidade à frente do Corinthians, quando foi campeão de praticamente tudo o que disputou, assim como os grandes nomes internacionais. Mas nenhum deles teve êxito em suas seleções. Então, se ele for campeão com a seleção brasileira, acho que pode estar um passo à frente dos grandes treinadores do mundo." 

Ainda exaltando o grupo brasileiro, Cafu acredita que Neymar "já ultrapassou o nível de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo", as duas principais estrelas do futebol mundial na última década. "Pelos últimos anos dele, pelo que vem jogando, (Neymar) é um do maiores do mundo sem sombra de dúvidas. Tecnicamente, não se discute a qualidade dele. Esperamos que no próximo ano ele seja mundialmente consagrado e considerado o melhor jogador do mundo."

Ele também prefere deixar o vexame do 7 a 1 para trás e acredita que não há como comparar o time de Felipão e o de Tite. "A seleção do Felipão chegou a uma semifinal de Copa do Mundo, enquanto a de Tite não se classificou ainda. Ela está crescendo e pode ser campeã."

Depois do vice em 1998, Cafu assumiu de forma incontestável a braçadeira de capitão da seleção ate a Copa da África do Sul. Apesar de ter sido praticamente o único a desempenhar esse papel em seu tempo, ele não vê com maus olhos o rodízio feito por Tite. "Até agora é legal (o rodízio). É uma oportunidade de dividir a responsabilidade na seleção. Mas em uma competição oficial, ele talvez determine apenas um. O capitão é fundamental no time. É o elo entre os jogadores e o técnico e também com a imprensa. Tem que ser alguém com cabeça, inteligência e respeito perante o grupo."

E ele já tem seu candidato: "Acho que o Miranda é quem tem mais característica de capitão. Ele tem pulso firme, moral no grupo e experiência para passar aos mais novos. Estive lá como assistente pontual e pude ver isso pessoalmente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.