José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Confira a mensagem de e-mail de Ataíde com ataques a Aidar

Ex-dirigente do São Paulo acusa presidente do clube de corrupção

O Estado de S. Paulo

09 de outubro de 2015 | 20h44

A crise política no São Paulo, deflagrada nesta semana, teve um e-mail como um dos componentes principais. Em mensagem ao presidente do clube, Carlos Miguel Aidar, o então vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, acusou o mandatário de corrupção e desvio de dinheiro. Um áudio gravado por Ataíde será analisado pelo Conselho Deliberativo em reunião extraordinária para avaliação do material.

Até o encontro, marcado para o dia 22, a oposição promete organizar outras ações contra Aidar. Uma delas é a procoloação de uma representação contra o presidente, para propor a expulsão dele do quadro de associados do clube e forçar a situação política para uma renúncia.

Confira a íntegra do e-mail:

Carlos Miguel:

A sua conduta na Presidência do SPFC não tem a postura que eu esperava de um líder. Todas as vezes que você assumiu a responsabilidade pela negociação de atleta, isolando a área de futebol, ficava uma suspeita de algo errado, foi assim no Douglas, Wesley, Denilson, acreditando em você não investiguei a fundo. Agora porém você exagerou na contratação do Yago (sic), não tem como justificar, os fatos foram grosseiros, prova do sentido de impunidade.

Tudo isto ficaria sem comprovação, mas quando você me ofereceu repartir a comissão na contratação do Gustavo da Portuguesa, primeiro a sós e depois na frente da Cinira, vi que vocês dois estavam realmente lesando os interesses do clube. Para tratar com desleais só mesmo usando das mesmas armas.

Fui sábado com um gravador e consegui que você me dissesse em sequência, tudo limpamente gravado:

1- Descrevesse como você receberia o dinheiro da comissão na contratação do atleta e você ainda destaca que me entregaria em dinheiro circulante e nenhum de nos correria qualquer risco.

2- Mais grave ainda, quando lhe mostrei os dados sobre um possível contrato entre a TML e a Under Armour, você com a maior "cara de pau" diz que de fato tentou a comissão indevida mas que o contrato não foi assinado, logo você confessa corrupção que apenas não se consumou.

3- Quando abordei a Far East, você negou que participa mas denunciou como cabeça de uma operação fraudulenta o Douglas.

4- Você menciona em detalhes que o Douglas perdeu a noção do perigo e pede comissão em todas as operações.

Carlos Miguel, não quero ver o SPFC envolvido em mais escândalos, mas não pode continuar sendo presidido por você com todas os problemas que você confessa na gravação com a maior simplicidade, como se seus atos fossem lícitos e normais. O Antônio Cláudio me aconselhou a não entregar as provas para a CPI do Futebol, mas que as libere ao presidente do Conselho Deliberativo. O escândalo será iminente e prejudicará o SPFC, a sua imagem pessoal e será devastador também ao seu escritório de advocacia. Não esqueça que a CPI Futebol tem poderes para confirmar se a Under Armour Brasil pagou a TML e como a sede da empresa mãe fica nos Estados Unidos, poderá implicar em problemas graves para a multinacional. Me parece que em face dos fatos só resta a você renunciar. só quero que o SPFC seja decente, imagem que você maculou e se continuar a frente do clube a cada dia será pior o que você fala do Douglas na gravação vale para você : "perdeu o temor da impunidade". O Antônio Cláudio está copiado, por ser nosso amigo comum, sério e interessado no saneamento da administração do SPFC.

Ataíde Gil Guerreiro"


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.