César Greco/Ag. Palmeiras
César Greco/Ag. Palmeiras

Confira dez curiosidades sobre a final da Copa Libertadores do próximo sábado

Santos e Palmeiras decidem título no Maracanã em jogo sem a presença de torcida e com a entrega de prêmios valiosos

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2021 | 12h00

Santos e Palmeiras decidem no próximo sábado a Copa Libertadores no Estádio do Maracanã, no Rio, em um contexto bastante curioso. As duas equipes vão jogar sem a presença de torcida e cercadas de cuidados para evitar o contágio com o novo coronavírus. Além disso, a final será disputada diante de no máximo 5 mil presentes e vai ter premiações importantes para quem ficar com o título. Por isso, o Estadão preparou uma lista das dez principais curiosidades desta decisão.

Maracanã, um palco raro

Apesar de ter recebido duas finais de Copas do Mundo, decisões de Copa América e centenas de jogos importantes, será apenas a segunda vez na história que o Maracanã vai sediar uma final de Libertadores. A primeira ocasião foi em 2008, quando a LDU, de Quito, bateu o Fluminense. Agora, será a primeira vez que um time brasileiro vai ter a honra de erguer a Copa Libertadores dentro do mais tradicional estádio do País.

Um clássico antigo, mas com palco inédito

Mesmo com uma rivalidade de mais de cem anos, Santos e Palmeiras jamais se enfrentaram no Maracanã. O estádio que vai abrigar o confronto mais importante dessa história nunca sediou, inclusive, qualquer clássico entre times do futebol paulista. A arena foi definida como palco da decisão antes mesmo do início da competição.

Decisão 'caseira'

É a quarta vez na história que dois times do mesmo país vão decidir o torneio. Em outras duas ocasiões, o encontro decisivo também foi brasileiro. Em 2005, Athletico-PR e São Paulo foram os finalistas. No ano seguinte, o time do Morumbi novamente foi à final e encontrou o Inter. Mais recentemente, foi a vez de uma decisão ser totalmente argentina. Em 2018 os rivais River Plate e Boca Juniors definiram o título.

Premiação

Ganhar o jogo no próximo sábado significa embolsar pelo título o valor de R$ 82 milhões. Como a Libertadores premia os times a cada fase avançada, ter sido campeão representa ter acumulado cerca de R$ 120 milhões por toda a campanha. Mesmo quem ficar com o segundo lugar não voltará para casa de mãos vazias. Somente pelo vice-campeonato, o perdedor da decisão receberá cerca de R$ 32,8 milhões.

Final sem venda de ingressos

Por causa da pandemia do novo coronavírus, a decisão da Copa Libertadores não terá venda de ingressos. A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) permitiu somente a presença de convidados, dirigentes e alguns patrocinadores. A estimativa é da presença de 5 mil pessoas no estádio no próximo sábado. Cada finalista poderá levar uma delegação de até 250 convidados.

Campeões do mundo

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) convidou para a final um grupo VIP. A entidade chamou todos os jogadores ainda vivos que participaram das cinco conquistas da seleção brasileira em Copas do Mundo. A lista de confirmados não foi fechada ainda, mas nomes como Clodoaldo e Edu já garantiram presença. Por outro lado, quem recusou o convite foi o ex-goleiro Marcos, campeão da Libertadores de 1999 pelo Palmeiras.

Exames obrigatórios

Para entrar no Maracanã no próximo sábado será obrigatório apresentar um exame negativo PCR. A exigência vale para jogadores, dirigentes, convidados, jornalistas e funcionários que vão trabalhar na organização da final. A Conmebol pede que o texto seja feito até cinco dias antes da decisão do torneio. Para entrar no estádio, será preciso passar por uma medição da temperatura.

Anel ao melhor jogador

Uma das patrocinadoras do torneio, a Bridgestone, vai entregar um presente valioso ao atleta escolhido o melhor jogador do torneio. O nome será definido em uma votação popular e vai receber um anel personalizado com pedras preciosas, desenvolvido em homenagem ao Estádio do Maracanã. A joia tem 30 gramas de ouro, possui ainda 131 diamantes, uma safira amarela, uma esmeralda e das inscrições "Best of The Tournament" e "Conmebol Libertadores". Concorrem ao prêmio os santistas Soteldo e Marinho e mais os palmeirenses Weverton e Rony.

Árbitro com sobrenome famoso

O responsável por apitar a decisão será o argentino Patricio Loustau, de 45 anos. Recentemente, ele expulsou três jogadores em um período de apenas 10 minutos e ainda marcou dois pênaltis durante a vitória do Vélez Sarsfield por 3 a 1 sobre o Rosario Central, pela Copa Diego Maradona, em San Juan. Patricio Loustau também é filho de um ex-árbitro: Juan Carlos Loustau, que apitou a Copa do Mundo de 1990 e final do Mundial Interclubes de 1992, entre São Paulo e Barcelona.

Regalia para o Mundial

O time vencedor da Copa Libertadores vai disputar o Mundial de Clubes da Fifa, no Catar, com uma comodidade. Um acordo da entidade máxima do futebol com o governo local garantiu a que a delegação seja dispensada de realizar quarentena mínima de sete dias em um hotel, como é exigido para os demais estrangeiros. A medida foi tomada para possibilitar ao campeão da Libertadores tempo suficiente para treinar e se preparar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.