Confirmado por Tite como titular do Corinthians, Alex revê ex-clube

SÃO PAULO - Principal reforço do Corinthians para o segundo semestre, Alex fez seu primeiro jogo como titular da equipe alvinegra no domingo, contra o Atlético-GO. Mas, no Serra Dourada, ele substituiu Jorge Henrique, atuando mais como terceiro atacante. Nesta quinta, contra o Internacional, ele entrará no lugar de Danilo, suspenso. Chance para Alex mostrar que pode ser titular da equipe na posição em que mais gosta de jogar.

Fabio Hecico, O Estado de S. Paulo

13 de julho de 2011 | 19h20

De acordo com Tite, o time não sofrerá alterações em seu esquema de jogo. O que muda são só as características individuais. "O Morais dá mais dinâmica, o Danilo é mais bola aérea e cadência, e com o Alex você tem passe e finalização a média distância. Mas o sistema é o mesmo", explicou o treinador, falando das três opções que tem para apenas uma vaga no meio campo.

Ainda se readaptando ao futebol brasileiro, Alex acredita ser possível atuar os 90 minutos da partida contra o Inter, no Pacaembu. "Eu acho que suporto. Bom teste foi em Goiânia, quando fiquei 87 minutos em campo. Lá tem um clima atípico, com umidade baixa e mesmo assim consegui me manter. A tendência é que eu esteja mais solto (na quinta)."

No Pacaembu, Alex vai reencontrar o Internacional, clube pelo qual ele ganhou projeção atuando no Brasil. Em 2005, quando atuava pelo time gaúcho, o jogador lamentou o desfecho do Brasileirão daquele ano, vencido pelos paulistas após um escândalo de arbitragem e a uma atuação desastrosa do árbitro Márcio Rezende de Freitas no confronto direto entre os dois, no Pacaembu. Agora do outro lado, Alex é político a rivalidade.

"Foi uma rivalidade criada em grandes jogos. O Corinthians teve privilégio de aproveitar os jogos, mas a gente não creditou o Corinthians como culpado. Foi mais pela decisão do Zveiter", analisou o ex-colorado.

Se marcar contra seu antigo clube, Alex não pretende comemorar. "Não acho desrespeito comemorar. Falta de respeito então seria não marcar o gol. Mas acredito que essa foi uma maneira que todos acabaram criando para demonstrar respeito", disse Alex, que revelou carinho pelos ex-companheiros: "Hoje não tenho contato. Mas, mesmo que não se fale, quando se encontra a intimidade é a mesma".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.