Conflito de organizada do Boca Juniors mata dois e suspende jogo

Grupos rivais são liderados por Mauro Martín e Maxi Mazzaro, que disputam o comando da 'La 12'

AE, Agência Estado

21 de julho de 2013 | 20h17

BUENOS AIRES - A violência das torcidas do futebol argentino fez novas vítimas neste domingo. Um confronto entre duas facções da principal organizada do Boca Juniors terminou com duas mortes e provocou a suspensão da partida que a equipe faria contra o San Lorenzo pela Copa de Inverno, torneio amistoso.

Os grupos rivais são liderados por Mauro Martín e Maxi Mazzaro, que estão presos e disputam o comando da "La 12". O confronto aconteceu nas imediações do estádio Nuevo Gasómetro, local do jogo, e houve tiroteio. Além de duas mortes, vários outros torcedores ficaram feridos. Uma pessoa foi presa com porte de arma de fogo.

De acordo com as testemunhas, mais de cem tiros foram disparados e uma das vítimas foi morta ao ser atingida no tórax. A outra chegou a ser levada para o hospital, mas não resistiu. O confronto ocorreu fora do esquema policial armado para dar segurança antes da partida.

O presidente do San Lorenzo, Matías Lammens, justificou a suspensão da partida alegando que "era um perigo expor as pessoas sabendo o que havia acontecido. Por isso, achamos melhore suspender".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBoca Juniorsconfronto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.