Carlos Ezequiel Vannoni/Eleven
Carlos Ezequiel Vannoni/Eleven

Confusão entre torcida do Santa Cruz e PM deixa 60 pessoas feridas no Recife

Presidente do clube pernambucano questiona atuação da polícia diz que vai prestar assistência a quem se feriu no estádio

Estadão Conteúdo

08 Março 2018 | 09h23

O clássico pernambucano desta quarta-feira entre Sport e Santa Cruz registrou mais um triste capítulo da violência nos estádios brasileiros. O jogo, disputado na Ilha do Retiro, no Recife, teve briga entre torcedores do time visitante, o Santa Cruz, com a Polícia Militar. O episódio acabou com 60 pessoas feridas, sendo que 25 delas foram levadas para Unidades de Pronto Atendimento (UPA). O jogo era válido pelo Campeonato Pernambucano e não foi cancelado. Terminou empatado por 1 a 1.

Corintiano morre após ser espancado em briga de torcidas de Santos e Corinthians

A confusão teria começado quando um torcedor do Santa Cruz tentou acender um sinalizador nas arquibancadas ainda no fim do primeiro tempo. A polícia, seguindo as regras da partida, interveio para apagá-lo, mas derrubando diversas pessoas no caminho e gerando um efeito dominó entre os presentes, o que causou a revolta dos demais torcedores. As imagens mostraram truculência.

 

Revoltados, parte dos torcedores ameaçaram invadir o campo, e alguns forçaram para entrar por um portão de acesso ao gramado, enquanto outros entoaram canto dizendo que era "a pior PM do Brasil", a do Recife. Os policiais responderam com gás de pimenta nas pessoas que estavam próximas ao alambrado. Houve mais confusão. Quem estava na parte de cima da arquibancada desceu e começou a pressionar quem estava na parte inferior, até o rompimento da grade.

As pessoas feridas foram atendidas no gramado durante o intervalo da partida e início do segundo tempo. Dos feridos, 25 foram levados para hospitais próximos à Ilha do Retiro. Em determinado momento da confusão, seis ambulâncias chegaram a estar no gramado. Havia mulheres e idosos entre os feridos.

Após a confusão, o Santa Cruz se manifestou oficialmente por meio de seu site. O clube pernambucano lamentou a situação e informou que pessoas que não estavam no meio na confusão acabaram atingidas. "O clube vai prestar toda a assistência necessária aos seus torcedores que ficaram feridos. Temos consciência e lutamos sempre para ter essa família coral ao lado do clube, e não afastá-la do time. Não é apontar erro para ninguém, mas como o torcedor entrou com sinalizador? Temos de repensar e evitar algumas situações no futebol. Pedimos tanto ao torcedor para comparecer. Diante de tantos fatos, será que ele se sente à vontade para sair de casa e ir ao estádio? Precisamos reduzir estas situações que afastam o torcedor de bem", afirmou Constantino Júnior, presidente do Santa Cruz, em nota oficial.

Até o momento da publicação desta matéria, Sport e Polícia Militar não haviam se posicionado oficialmente.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.