Sergio Castro/Estadão
Sergio Castro/Estadão

Confusão marca venda de ingressos para a torcida do Palmeiras

Todas as entradas colocadas em bilheterias foram vendidas

O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2015 | 14h25

Uma confusão entre Polícia Militar e a torcida do Palmeiras marcou a venda de ingressos para os palmeirenses na manhã desta quinta-feira, nas bilheterias do estádio do Pacaembu. Na Vila Belmiro, onde também teve comercialização dos bilhetes e existia um temor maior de violência, nada foi registrado. Segundo a PM, a violência da torcida exigiu uma intervenção para evitar destruição ao local.

Segundo o Lancenet, as bilheterias do Pacaembu foram abertas por volta das 9h52 e dois guichês estavam abertos. Membros de torcida organizada estavam entre os primeiros da fila e recebiam documentos e dinheiros de quem chegava depois para comprar ingressos, causando a revolta de quem não era da uniformizada e estava atrás, esperando para ser atendido. Apesar da reclamação, não havia sido registrado nenhuma confusão mais grave.

Por volta das 10h40, a Polícia Militar chegou ao local e teve início a confusão. Depois de tentar organizar as filas com gritos, os policiais partiram para o ataque contra os torcedores, agredindo-os com cassetetes. Palmeirenses acabaram caindo um sobre o outro, derrubaram as grades colocadas para organização e o caos se instalou por alguns minutos, ferindo torcedores e alguns jornalistas presentes no local.

Com os ânimos mais acalmados, as vendas continuaram e cerca de 11h todos os 200 ingressos colocados no Pacaembu foram vendidos. O fato curioso é que 1.350 ingressos estão destinados para os palmeirenses, mas apenas 400 foram disponibilizadas em bilheterias.

Foram 200 no Pacaembu e mais 200 na Vila Belmiro, onde também foram vendidos rapidamente. O Palmeiras ficou com 650 entradas que serão comercializadas através do Palmeiras Tour, agência de viagens do clube e também para conselheiros e patrocinadores. O destino dos 300 ingressos restantes não foi anunciado.

Em nota, a Polícia Militar justificou a ação no estádio: "A Polícia Militar esclarece que a intervenção policial e uso moderado da força foram necessários, pois torcedores, com a iminência dos ingressos acabarem, começaram um quebra-quebra. A PM conseguiu contê-los e organizou novamente as filas".

(Atualizada às 21h05)

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasSantos FCingressos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.