Kai Pfaffenbach / Reuters
Kai Pfaffenbach / Reuters

Conheça Kathleen Krüger, a mulher que comanda o poderoso Bayern desde 2009

Ex-jogadora é Team Manager do campeão mundial e tem de enorme respeito e prestígio entre os comandados

Redação, O Estado de S. Paulo

08 de março de 2021 | 17h37

Dono do melhor futebol do planeta atualmente, o campeão europeu e mundial Bayern de Munique tem uma mulher em seu comando desde 2009. Kathleen Krüger é quem manda no time profissional do clube alemão. Team manager, ela é ponto de ligação entre dirigentes e atletas, fica na beira do campo incentivando e orientando e toma as decisões importantes no clube bávaro.

Ex-atleta do time feminino do Bayern, ele abandonou o gramado com somente 24 anos por problemas de lesão. Não queria, contudo, abandonar os bávaros. E como o clube buscava uma diretora para auxiliar Christian Nerlinger a fazer o elo entre os atletas e a direção, ela não pensou duas vezes em se colocar à disposição. Virou "auxiliar" em 2009 e a "toda poderosa" a partir de 2012 com a saída do amigo.

Trocou as chuteiras e o uniforme pelo agasalho ou, em situações mais sérias, à saia e terninho. Mesmo iniciando uma carreira nova com pouca idade, sempre foi respeitada e com a hierarquia respeitada. Não por acaso, sempre é elogiada pelos profissionais do clube, atuais ou ex-jogadores e ex-treinadores.

"Kathleen Krüger é uma mulher autoconfiante, independente e forte. Que não quer ser melhor que ninguém e sabe o que é capaz de fazer. Somos muito privilegiados por tê-la conosco, porque sem ela, provavelmente, metade dos jogadores iriam se perder", elogiou o francês Ribéry, quando ainda defendia o clube.

Recentemente, Hans-Dieter Flick foi questionado sobre de qual maneira o Bayern comemoraria um título e não titubeou na resposta. "Não sei, vamos ver o que Kathleen nos deixa fazer e o que não." Esse respeito vem de outros treinadores, também.

Jupp Heynckes ameaçou deixar o clube caso os alemães confirmassem a ideia de dispensá-la em 2012. Pep Guardiola gostava tanto de Krüger que, ao sair, fez de tudo para levá-la ao Manchester City. Pesou o amor pelo Bayern.

"É ela que mantém a equipe unida. Não importa que problemas possamos enfrentar", endossa o experiente astro Thomas Müller. Que o mundo da bola aprenda a ter essa educação e idolatria com profissionais como Kathleen Krüger.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBayern de Munique

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.