Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Veja os motivos que podem manter ou tirar Osorio do São Paulo

Treinador do São Paulo admite interesse em comandar o México

O Estado de S. Paulo

25 de setembro de 2015 | 14h03

Juan Carlos Osorio ainda tem seu futuro indefinido no São Paulo. O treinador, contratado no começo de junho, é sondado desde que chegou ao Brasil para assumir a seleção do México e cada vez mais mostra-se interessado em aceitar o convite. No Morumbi, o técnico começa a entender melhor como funciona o futebol brasileiro e anda sofrendo com algumas represálias por comentar na mídia o que pensa abertamente. Nessa sexta, ele disse que não confia na diretoria do São Paulo. Osorio mantém o time vivo na Copa do Brasil e na briga por uma vaga no G-4 do Brasileirão. O Estado publica cinco razões para sua permanência no Brasil, mas também cinco motivos para pegar o boné em menos de 30 jogos no comando do Tricolor paulista e se mandar.

CONFIANÇA DO TIME

Osorio tem o time nas mãos e por isso seu trabalho pode render muito na próxima temporada. Todos no elenco gostam do seu jeito de comandar e de anotar com suas canetas o que está dando certo e errado. O grupo já o aprovou e espera que ele continue.

PAZ COM A TORCIDA

Da mesma forma, a torcida anda em trégua com o treinador. O São Paulo não conseguiu entrar na briga pelo caneco do Brasileiro e se deu mal diante de alguns rivais importantes desde sua chegada. Mas seu nome, se não tem sido aclamado no estádio, também não tem sido criticado. O são-paulino espera para avaliá-lo melhor.

APOIO DA DIRETORIA

Mudar de comando novamente seria mais um retrocesso para o São Paulo. Daí a necessidade de a diretoria apoiar Osorio, como está fazendo desde sua chegada. Os cardeais do Morumbi tentam evitar que as discussões políticas do clube cheguem no CT da Barra Funda. Osorio já reclamou que isso atrapalha, mas ainda consegue trabalhar.

PORTAS FECHADAS

Para sua carreira, seria mesmo bom comandar uma seleção na Copa do Mundo, embora não tenha garantias de que seu trabalho chegará na Rússia em 2018. Mas abandonar um time depois de três meses também mancharia seu currículo e certamente fecharia as portas para ele no Brasil, onde já disse que sempre quis trabalhar.

COPA DO BRASIL

Com o São Paulo ajeitado e após boa vitória sobre o Vasco na prImeira partida da quartas de final da Copa do Brasil, o treinador tem chance de conseguir um título com meses de trabalho no clube. Isso facilitaria sua vida para a próxima temporada. Osorio ganharia moral. Ele também seria responsável em recuperar alguns jogadores que estavam sem rumo, como Pato e Ganso.

Osorio, no entanto, também tem bons motivos para deixar o São Paulo. Seria fácil para o treinador colombiano alegar que parte do que foi tratado com ele não foi cumprido. Isso seria uma resposta ao presidente Carlos Miguel Aidar, que esteve em sua casa para seduzi-lo a aceitar o convite após a recusa de Sampaoli, da seleção chilena, que sempre foi a primeira opção do clube.

SELEÇÃO MÉXICO

Osorio já chegou ao Brasil dizendo que gostaria de dirigir uma seleção na Copa do Mundo. Disse isso aos dirigentes do São Paulo. Entende que comandar uma seleção é o sonho de todo treinador.

DEBANDADA DE JOGADORES

Uma de suas maiores preocupações para abandonar o barco tricolor seria o fato de a diretoria não lhe contar da missa metade. Osorio desembarcou no Morumbi sem saber que perderia jogadores importantes do elenco, como Souza, Denílson, Toloi, Paulo Miranda e Doria. O próprio Rodrigo Caio foi e voltou da Espanha sem ter sua contratação acertada. Portanto, teve de manter o time com os que ficaram.

POLÍTICA

Osorio reclamou publicamente de que a confusão da diretoria, suas brigas e discussões políticas, chegam ao CT da Barra Funda, atrapalhando o trabalho do time. Nesta quarta, Rogério Ceni disse que isso em nada atrapalha, mas também ressaltou que Osorio é recém-chegado ao clube e ao Brasil e não sabe com isso funciona no País.

ISSO É BRASIL

O treinador reconhe agora a instabilidade do futebol brasileiro, que demite treinador a cada fim de semama. No Brasileirão, foram mais de 23 só nesta temporada. Alguns mais de uma vez. 

FALTA DE CONFIANÇA

Admitiu nesta sexta não confiar na diretoria do São Paulo, principalmente pelas negociações de jogadores. Entende que a necessidade de fazer dinheiro é tão grande, e o Brasil sempre foi um mercado exportador, que clube algum segura atleta numa temporada.


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.