Divulgação/Vasco da Gama
Divulgação/Vasco da Gama

Conheça Ricardo Sá Pinto, novo técnico do Vasco que já trocou socos com Liedson

Novo comandante cruzmaltino já rodou o mundo e terá sua primeira oportunidade em um clube brasileiro

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de outubro de 2020 | 16h07

Para cobrir o vácuo deixado em decorrência da demissão do treinador Ramon Menezes, o Vasco anunciou, nesta quarta-feira, a contratação do técnico português Ricardo Sá Pinto. Pouco conhecido no futebol brasileiro, o mais novo comandante do clube cruzmaltino é um personagem polêmico e de personalidade explosiva. 

Antes de se tornar técnico, Sá Pinto foi jogador e fez história no Sporting. Lá ele ganhou o apelido de "Ricardo Coração de Leão" e é lembrado pela sua raça e entrega nos gramados. O português também acumula passagens como atleta por Salgueiros, de Portugal, Real Sociedad, da Espanha, Standard Liège, da Bélgica, e pela seleção portuguesa, pela qual disputou 55 partidas.

Por falar no esquadrão lusitano, em 1997, Sá Pinto agrediu o então treinador de Portugal, Artur Jorge. Isso porque ele não concordava com a ausência de seu nome na lista de convocados do técnico. Dez anos mais tarde, se aposentou dos gramados. Seus primeiros passos como treinador foram dados em 2010, quando tornou-se comandante adjunto do União de Leiria.

Na temporada seguinte, no entanto, ele recebeu um convite para comandar o Sporting. Antes de assumir o cargo de mandatário titular do clube no qual é ídolo, Sá Pinto se envolveu em outro episódio de agressão. Dessa vez, com um brasileiro. Na ocasião, o português trocou socos dentro do vestiário com o atacante Liedson, que havia saído em defesa do goleiro Rui Patrício.

Sá Pinto assumiu o comando principal do Sporting em 2011. Na temporada seguinte, ele chegou à semifianal da Liga Europa e da Taça de Portugal. No entanto, após "bater na trave" duas vezes, o técnico deixou a equipe. Em 2013, foi se aventurar no Estrela Vermelha, da Sérvia, mas saiu em decorrência de conflitos com dirigentes.

No mesmo ano, ele foi para o Creta, da Grécia, e lá ficou até 2015, ano em que voltou para Portugal para comandar o Beleneses. 

Sem obter sucesso em sua terra natal, Sá Pinto mirou a Árabia Saudia. Mais uma vez, as conquistas não apareceram. Em 2017, o treinador o assumiu o comando do Standard Liège, clube pelo qual atuou como jogador. Em 2018, foi campeão da Copa da Bélgica e esse é considerado sua maior conquista.

Na temporada seguinte, contudo, o português decidiu arrumar suas malas para a Polônia, onde assumiu o comando do Légia Varsóvia. Mais uma vez, os títulos ficam fora de seu currículo e ele regressou para Portugal, dessa vez, para treinar o Braga. Lá, também não teve muito sucesso e ficou sem títulos. Foi o último clube que comandou antes de começar a sua trajetória no Vasco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.