Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Divulgação/Conmebol
Divulgação/Conmebol

Conmebol anuncia faturamento recorde e cria fundo de R$ 142 milhões para emergência

Entidade fecha 2019 com lucro de mais de R$ 2 bilhões e se diz disposta a ajudar países na luta contra a pandemia

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2020 | 13h55

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou nesta quinta-feira que registrou em 2019 o ano mais positivo da história. Durante o 72º congresso da instituição, realizado por videoconferência, a entidade revelou teve o faturamento recorde de R$ 2,6 bilhões e confirmou ainda que criou um fundo de reservas de R$ 142 milhões para ser utilizado em caso de emergências.

Segundo os números divulgados pela Conmebol, o faturamento do ano passado registra um aumento de 146% em relação aos número de 2015, ano em que o atual presidente, Alejandro Domínguez, assumiu o cargo. O estudo, realizado por uma consultoria, mostra ainda que a entidade registrou um aumento do patrimônio em R$ 158 milhões e não possui mais dívidas bancárias.

Mesmo com os bons números, Domínguez ressaltou que o poderio financeiro da instituição será importante para resolver possíveis problemas no futebol causados pela pandemia do novo coronavírus. "Com a casa em ordem e finanças sólidas poderemos encarar essas circunstâncias excepcionais com confiança e com a capacidade de respostas necessária, tanto na parte financeira como institucional", disse.

Recentemente a Conmebol liberou aos clubes participantes da Copa Libertadores e da Copa Sul-Americana cerca de R$ 205 milhões. O valor se refere a 60% do total de cota de participação nessas competições e servirá para as equipes diminuírem os prejuízos durante essa paralisação causada pelo novo coronavírus.

Embora não voltado para o combate à pandemia, o novo fundo criado pela Conmebol no valor de R$ 142 milhões poderá ser também um socorro financeiro para esse período. O destino da verba será analisado pelo Conselho da Conmebol, composto pelos dez presidentes das confederações nacionais do continente. 

No ano passado, a organização da Libertadores rendeu à Conmebol cerca de R$ 854 milhões e a Sul-Americana trouxe outros R$ 274 milhões. A entidade organizou ainda a Copa América, que segundo Dominguez, teve a maior arrecadação da história do torneio. O valor, porém, não foi revelado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.