Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Conmebol anuncia final da Libertadores no Maracanã para 30 de janeiro

Presença de público no estádio é dúvida e será determinada pelas autoridades sanitárias do Rio de Janeiro

Redação, Estadão Conteúdo

11 de novembro de 2020 | 14h41

A segunda final única da Copa Libertadores já tem data e local definidos. A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou nesta quarta-feira que o jogo decisivo da principal competição de clubes do continente será dia 30 de janeiro, no Maracanã.

O único ponto que resta ser determinado é a presença de público no estádio. Isso vai depender de uma autorização das autoridades sanitárias do Rio de Janeiro, que, na ocasião, avaliará a situação epidemiológica da cidade. Nenhum jogo na América do Sul tem público desde o início da pandemia, em março.

A final da Libertadores contecerá uma semana após a decisão da Copa Sul-Americana, que também será disputada em jogo único, no dia 23 de janeiro, no Estádio Mario Alberto Kempes, em Córdoba, na Argentina.

Grêmio, Santos, Internacional, Athletico-PR, Palmeiras e Flamengo terão a chance de decidir a competição em "casa". No caso do Flamengo, atual campeão, vai ter a oportunidade de jogar a decisão no estádio em que disputa todos os jogos como mandante. Isso, claro, se chegar até lá.

Por causa da pandemia, os jogos iniciais da Libertadores foram suspensos. Isso fez com que os confrontos das oitavas de final da competição fossem realocados para o fim de novembro, período em que os finalistas já teriam sido definidos em anos normais.

Em 2019, Flamengo e River Plate foram os finalistas. A decisão aconteceu em Lima, no Peru, no dia 23 de novembro, com vitória, de virada, do time rubro-negro. Gabriel Barbosa marcou dois. O primeiro foi aos 43 do segundo tempo. E o segundo, aos 46. Com a conquista, o Flamengo ganhou o direito de disputar o Mundial de Clubes da Fifa. Perdeu na final para o Liverpool.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.