Juam Mabrota/ AFP
Juam Mabrota/ AFP

Conmebol confirma Libertadores com final única e maior premiação em 2019

Definição aconteceu em uma reunião do conselho da entidade, em Punta del Este, no Uruguai

Estadão Conteúdo

23 de fevereiro de 2018 | 15h26

A Conmebol anunciou nesta sexta-feira que a Libertadores passará a ter final disputada em jogo único a partir de 2019. A mudança já havia sido definida há dois anos, mas ainda não tinha data para ser implementada. Agora, a entidade definiu que acontecerá já na edição do ano que vem.

Roger Machado mostra preocupação com novo esquema do Corinthians

A definição aconteceu em uma reunião do conselho da entidade, em Punta del Este, no Uruguai. Apesar da controvérsia por trás da medida, a Conmebol explicou que ela foi votada por unanimidade entre os presidentes de todas as federações nacionais do continente.

O local da primeira edição desta final única ainda não foi definido, mas a entidade também já confirmou que a partida será disputada em um sábado à noite. A Conmebol explicou que decidiu mudar o formato da decisão após realizar uma série de estudos sobre "a justiça do esporte, a emoção do espetáculo, a qualidade da disputa, a opinião dos torcedores, a infraestrutura do futebol no continente", entre outros.

"A partir de 2019, a Libertadores será decidida em uma apaixonante final única", declarou o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez. "Mais do que uma partida, será um grande evento esportivo, cultural e turístico que trará benefícios para o futebol sul-americano, seus clubes e torcedores. Será oferecido um espetáculo de classe mundial e uma melhor experiência em casa e no estádio."

Carille confirma Sidcley e Ralf no Paulista e fecha elenco do Corinthians

Esta, porém, não foi a única mudança definida pela Conmebol nesta sexta-feira. A entidade também anunciou uma premiação maior para os finalistas da Libertadores no ano que vem. Se em 2018 o campeão receberá US$ 6 milhões e o vice US$ 3 milhões, em 2019 cada um ganhará US$ 2 milhões a mais, além de 25% da renda da venda de ingressos da final.

"Esta decisão obedece o objetivo estratégico de potencializar o desenvolvimento esportivo do futebol sul-americano com maiores recursos, mais investimento e melhores padrões de nível. Além de gerar mais renda para desenvolvimento esportivo, a final única será uma grande oportunidade para que a América do Sul dê um grande salto em estrutura esportiva, organização de eventos, controle de segurança, comodidade e atenção nos estádios, além de projeção regional e mundial de nossos torneios, clubes e jogadores", comentou Domínguez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.