Reprodução/Twitter/Barcelona
Reprodução/Twitter/Barcelona

Conmebol decreta derrota do Barcelona-EQU na Libertadores por escalação irregular

Clube equatoriano não inscreveu Sebastián Pérez, contratado do Boca Juniors, dentro do prazo estipulado para o torneio

Redação, Estadão Conteúdo

11 de fevereiro de 2019 | 21h33

A Conmebol anunciou nesta segunda-feira que acatou o pedido do Defensor, do Uruguai, e mudou o resultado do confronto diante do Barcelona, do Equador, pela fase preliminar da Libertadores. Por causa da escalação irregular de um jogador, o time de Guayaquil foi decretado derrotado por 3 a 0, após vencer em campo por 2 a 1, mesmo atuando em Montevidéu.

O Defensor havia acionado a entidade por entender que o adversário merecia ser punido por supostamente não ter inscrito o colombiano Sebastián Pérez, contratado junto ao Boca Juniors, dentro do prazo estipulado para o torneio. O Tribunal Disciplinar da Conmebol considerou justa a reclamação e puniu o Barcelona levando em consideração artigo 19 de seu regulamento.

Em comunicado, a entidade explicou que os equatorianos podem entrar com recurso em até uma semana, mas decisão muda completamente o cenário do confronto a menos de 24 horas do duelo de volta. Se antes poderia até perder por 1 a 0 em casa que estaria classificado à próxima fase, o Barcelona agora precisa derrotar o adversário por quatro gols de diferença nesta terça-feira.

Este confronto define o possível adversário do Atlético-MG na última fase preliminar da Libertadores. Depois de empatar com o Danubio por 2 a 2 no Uruguai, o time brasileiro recebe o rival nesta terça, no Independência. Se passar, vai encarar na próxima fase o Barcelona ou o Defensor.

A Libertadores do ano passado causou bastante polêmica por conta de decisões tomadas pela Conmebol diante de acusações de escalações irregulares. Nas oitavas de final, o Santos foi punido por ter colocado em campo o uruguaio Carlos Sánchez no duelo de ida com o Independiente. O empate por 0 a 0 em campo foi transformado em derrota por 3 a 0 e o time brasileiro acabou eliminado na volta.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.