Sergio Moraes / Reuters
Sergio Moraes / Reuters

Conmebol defende organização da Copa América em nota: 'Não foi feita às pressas'

Segundo a entidade, torneio teve mais de um ano de 'mobilização de recursos financeiros, humanos e técnicos em todo o continente'

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2021 | 16h48

A Conmebol publicou uma nota oficial na qual se defende das críticas à organização da Copa América. Tite e os jogadores da seleção brasileira, além de estrelas de outros times como Aguero, da Argentina, e Suárez, do Uruguai, demonstraram contrariedade com o modo como a competição mudou de sede.

Em entrevista coletiva neste sábado (12/6), Tite afirmou que a mudança de sede teria sido feita de forma 'atabalhoada'. Casemiro reforçou que o grupo não está contente com a forma como o Brasil passou a ser a casa da Copa América. O certame mudou para o País após as desistência de Colômbia, por conta de uma série de protestos violentos, e Argentina, pela situação ruim que vive na pandemia de covid-19.

"Como a Argentina e a Colômbia foram desqualificadas como sedes, o protocolo da Direção de Competições de Seleções da Conmebol prescreve como primeira alternativa a sede do torneio anterior. A Copa América 2021 não foi feita "às pressas", o que seria impossível. O torneio levou mais de um ano de intensa organização, com a mobilização de recursos financeiros, humanos e técnicos significativos em todo o continente", afirmou a Conmebol na nota.

Antes mesmo da Copa América começar, já há 17 casos de covid-19 confirmados nas delegações, sendo 13 na Venezuela, que enfrenta o Brasil no primeiro jogo, e quatro na Bolívia. Ainda assim, a Conmebol defendeu os protocolos sanitários que serão adotados na competição.

"A bolha sanitária à qual as delegações são submetidas envolve minimizar o contato com o exterior, testando todas as pessoas envolvidas nos jogos 48 horas antes de cada partida e transportando as delegações em voos charter (privados)", disse a entidade que rege o futebol sul-americano.

Confira a nota completa:

"A Copa América, o torneio de seleções mais antigo do mundo, começa hoje com o encontro entre Brasil e Venezuela. Durante um mês, milhões de sul-americanos desfrutarão com alegria e entusiasmo uma competição esportiva do mais alto nível.

Neste dia de abertura, e diante da difusão de questionamentos infundados, a CONMEBOL quer deixar claros os pilares nos quais se baseia a organização da Copa América 2021:

Responsabilidade

A CONMEBOL está plenamente consciente da situação que o continente está atravessando no contexto da pandemia. Também reconhece a importância do futebol na cultura sul-americana e o papel que tem desempenhado na saúde física, mental e espiritual da população desde o início da pandemia. Portanto, com a ajuda de um painel de especialistas e em estreita coordenação com as autoridades sanitárias dos 10 países, projetou e implementou com sucesso rigorosas ações e medidas sanitárias em todos os seus torneios.

Ditas medidas têm uma eficiência muito alta, facilmente verificável com estatísticas. Mais de 99% das dezenas de milhares de testes de detecção do coronavírus foram negativos nos últimos dez meses.

A bolha sanitária à qual as delegações são submetidas envolve minimizar o contato com o exterior, testando todas as pessoas envolvidas nos jogos 48 horas antes de cada partida e transportando as delegações em voos charter.

Além disso, a CONMEBOL é a única confederação no mundo que leva adiante uma vacinação massiva de jogadores, técnicos, árbitros e assistentes.

Profissionalismo

A decisão de realizar a Copa América no Brasil não é caprichosa nem improvisada. No Brasil, estão em andamento torneios nacionais, estaduais e locais, assim como as competições internacionais da CONMEBOL e as Eliminatórias da Copa do Mundo. A CONMEBOL fez um acordo com o governo brasileiro que o país sediará a Copa devido ao acima exposto e ao fato de que a última competição foi realizada em 2019, o que facilita muito a organização. Como a Argentina e a Colômbia foram desqualificadas como sedes, o protocolo da Direção de Competições de Seleções da CONMEBOL prescreve como primeira alternativa a sede do torneio anterior.

A Copa América 2021 não foi feita "às pressas", o que seria impossível. O torneio levou mais de um ano de intensa organização, com a mobilização de recursos financeiros, humanos e técnicos significativos em todo o continente. Todos os anos, a CONMEBOL organiza um grande número de torneios internacionais de clubes e seleções, futsal e futebol de praia em diferentes categorias, nas modalidades masculina e feminina. Possui uma equipe profissional com vasta experiência e solvência comprovada no projeto e implementação de competições de alta qualidade. O profissionalismo é precisamente a capacidade de enfrentar e resolver rápida e eficientemente os desafios impostos por uma realidade em transformação.

Objetivo esportivo

A Copa América 2021 tem um claro objetivo esportivo: que as seleções nacionais da América do Sul cheguem à Copa do Mundo 2022 com experiência e boa preparação física e técnica, através de um torneio altamente exigente. A CONMEBOL modificou o calendário de competições para conseguir a coincidência entre a Copa América e a Eurocopa. O objetivo de alinhar os dois torneios é minimizar o desgaste físico e mental dos jogadores. Isto beneficia os próprios jogadores, os clubes e as seleções. E, fundamentalmente, os atletas sul-americanos e europeus chegarão à Copa do Mundo em condições de igualdade.

A CONMEBOL levou em conta alguns fatos incontestáveis. Nenhuma equipe sul-americana chegou às semifinais na Rússia 2018 e faz 20 anos desde que a América do Sul não ganha a Copa do Mundo. Até 2002, nosso continente ultrapassou a Europa no número de títulos da Copa do Mundo. Hoje a relação é inversa. É evidente o benefício esportivo que a Copa América terá para as seleções de todo o continente no período que antecede a Copa do Mundo do próximo ano.

Futebol sul-americano é paixão, é entrega, é ousadia. Não hesita diante de rival algum. E a Nova CONMEBOL está nessa mesma sintonia: não se encolhe diante dos desafios que surgirem, por mais difíceis que sejam, porque ACREDITA SEMPRE."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.