Conmebol determina que mexicanos joguem na Colômbia

San Luis e Chivas deverão jogar em Bogotá; medida foi tomada devido à epidemia de gripe suína no país

EFE,

30 de abril de 2009 | 13h53

Suíça confirma caso e Alemanha tem mais três suspeitasASSUNÇÃO - San Luis e Chivas, equipes mexicanas que avançaram às oitavas-de-final da Copa Libertadores, mandarão suas partidas pelo torneio na cidade colombiana de Bogotá, segundo a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). A medida foi tomada devido à epidemia de gripe suína que vem afetando principalmente o México.

 

Veja também:

tabela Copa Libertadores - Calendário / Resultados

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados

link Brasil tem 36 casos em observação; 2 são suspeitos  

 

O porta-voz da Conmebol, Nestor Benítez, disse que as duas equipes jogarão no estádio El Campín. Chivas e San Luís se classificaram em segundo lugar nos grupos 6 e 8, respectivamente. Com isso, existe a possibilidade de haver confrontos com alguma equipe brasileira, com exceção do Palmeiras, vice-líder da chave 1.

PREOCUPAÇÃO

O São Paulo só vai conhecer seu adversário nas oitavas-de-final da Libertadores na noite desta quinta-feira, mas já se antecipou e tirou vistos para a eventualidade de jogar no México. Primeiro colocado no Grupo 4, o clube do Morumbi poderá ter pela frente um adversário do país - San Luis ou Chivas - na próxima fase. A atitude, no entanto, foi desnecessária com a decisão da Conmebol.

Sem saber que os jogos diante dos clubes mexicanos teriam seus locais remarcados, o zagueiro Miranda demonstrou toda preocupação com a possibilidade de jogar no México. "Se puder evitar é melhor. Mas nosso trabalho é jogar futebol e vamos deixar esse caso para as autoridades competentes", afirmou o zagueiro Miranda. Para seu companheiro de defesa, André Dias, seria melhor não jogar no país. "Não adianta falar que não temos medo, porque a notícia está em todo lugar. Vamos ver se terão coerência para tirar o jogo de lá."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.