Rafael Carneiro/Estadão
Rafael Carneiro/Estadão

Conmebol discutirá com River e Flamengo final da Libertadores em Santiago

Entidade convida os presidentes dos clubes e da AFA e da CBF para uma reunião nesta terça-feira

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de novembro de 2019 | 19h59

A disputa em Santiago da final única da Copa Libertadores entre River Plate e Flamengo será discutida nesta terça-feira entre a Conmebol e os presidentes dos dois clubes e das associações de Argentina, Brasil e Chile, diante da inusitada crise social enfrentada pelo governo de Sebastián Piñera.

Um surpreendente tuíte da Confederação Sul-Americana convocando Claudio Tapia (AFA), Rogério Caboclo (CBF) e Arturo Salah (ANFP), além dos presidentes do River Plate, Rodolfo D'Onofrio, e do Flamengo, Rodolfo Landim, para "revisar todos os aspectos da organização da Final Única", aumentou os boatos de uma possível mudança de sede e de data para a disputa da final.

Mas fontes da Conmebol disseram à AFP que até esta segunda-feira a sede da final única segue sendo o Estádio Nacional de Santiago, com capacidade para 49.000 espectadores, e a data é dia 23 de novembro.

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, através da ministra dos Esportes, Cecilia Pérez, ratificou na semana passada a garantia oferecida por seu governo para a realização do jogo.

A confirmação foi dada apesar da inusitada agitação social que há quase duas semanas afeta o Chile, deixando 20 mortos e levando o governo a suspender o Foro de Cooperação Ásia Pacífico (APEC) e conferência do clima, a COP-25, dois eventos internacionais que estavam previstos para serem realizados entre novembro e dezembro.

O técnico defensor do título, Marcelo Gallardo, se mostrou preocupado com a situação no Chile e disse estar acompanhando de perto os fatos que ocorrem no país.

"Não cabe a mim chamar a Conmebol para perguntar sobre a situação. Por enquanto me deixa inquieto e está tudo muito preocupante e delicado para o povo chileno", comentou o treinador. "Queremos que os problemas lá sejam resolvidos para o bem do povo e o jogo passa para um segundo plano; apesar de ser a final da Copa Libertadores há situações mais importantes e delicadas", acrescentou.

O River Plate vai defender o título continental contra o Flamengo, um ano depois de tê-lo conquistado vencendo seu arquirrival Boca Juniors em Madri, em uma inédita final disputada pela primeira vez fora do continente americano devido aos incidentes de violência antes da partida de volta no estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires.

Mas a Conmebol realiza na capital paraguaia os últimos preparativos para a final única da Copa Sul-Americana 2019 entre o Colón da Argentina e o equatoriano Independiente del Valle, que será disputada neste sábado em La Olla Monumental do clube Cerro Porteño, estádio com capacidade para 45.000 espectadores. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.