Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Gilvan De Souza / Flamengo
Gilvan De Souza / Flamengo

Conmebol faz teste antidoping em jogadores do Flamengo antes de treino

Entidade tomou a mesma atitude com elencos de Grêmio e Lanús antes da final da Libertadores

Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2017 | 13h10

A dois dias do segundo jogo da final da Copa Sul-Americana, o treino do Flamengo precisou começar atrasado no Ninho do Urubu. Os jogadores do elenco comandado por Reinaldo Rueda passaram por exames antidoping surpresa, que foram realizados por membros da Conmebol, na manhã desta segunda-feira.

+ Indignado, Guerrero fala sobre suspensão imposta pela Fifa: 'Sou inocente'

+ Flamengo renova contrato do zagueiro Juan para mais uma temporada

O procedimento de coleta das amostras pelos funcionários da Conmebol envolveu apenas jogadores que terão condições de atuar na próxima quarta-feira. Assim, atletas que estão lesionados, como o atacante Berrío e o goleiro Diego Alves, não precisaram fazer os testes.

A realização dos exames antidoping surpresa não é uma surpresa, tanto que a Conmebol já havia adotado esse procedimento na decisão da Copa Libertadores, testando os jogadores de Grêmio e Lanús.

Curiosamente, porém, a avaliação se dá menos de uma semana após a Fifa suspender o atacante Paolo Guerrero, do Flamengo, por um ano em função de um resultado positivo para a substância benzoilecgonina, um metabólito da cocaína, em um teste realizado após partida entre Argentina e Peru pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018.

Derrotado pelo Independiente por 2 a 1 no jogo de ida da decisão da Sul-Americana, o Flamengo precisa de um triunfo por dois gols de diferença na próxima quarta, no Maracanã, para conquistar o título do torneio continental.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.