Bruno Cantini/Divulgação
Bruno Cantini/Divulgação

Conmebol mantém final da Libertadores no Mineirão

Inflexível, entidade não cedeu a pedido da CBF de transferir jogo para o Independência

AE, Agência Estado

16 de julho de 2013 | 13h53

ASSUNÇÃO - A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) frustrou nesta terça-feira o desejo do Atlético Mineiro de sediar a segunda partida da final da Copa Libertadores contra o Olimpia no Independência e confirmou que o palco da decisão, no dia 24 de julho, será o Estádio do Mineirão, como já havia sido marcado anteriormente.

A confirmação foi feita através de nota oficial publicada no site da Conmebol, com uma correspondência remetida a José Maria Marin, presidente da CBF. O dirigente apoiava o pleito do Atlético-MG para que o duelo fosse realizado no Independência e inclusive realizou um pedido formal solicitando a alteração do local da finalíssima da Libertadores.

O regulamento do torneio continental exige que os estádios da final da Libertadores possuam capacidade para 40 mil espectadores. O Atlético e a CBF, porém, alegavam que a regra foi quebrada para o jogo de ida, nesta quarta-feira, marcada para o Defensores del Chaco.

A Conmebol, porém, explicou que a Associação Paraguaia de Futebol lhe garantiu que o estádio tem capacidade para 40.759 espectadores, mesmo que apenas 32 mil ingressos tenham sido colocados à venda. Assim, o Defensores del Chaco está dentro do regulamento da Libertadores, ao contrário do Independência, que pode receber apenas 23 mil pessoas.

Com isso, o Atlético-MG terá de mudar de palco para a finalíssima da Libertadores, pois disputou todos os seus seis jogos, com cinco vitórias e um empate, como mandante na competição no Independência, local onde manda as suas partidas desde a sua reabertura em abril de 2012.

No Mineirão, reformado para sediar a Copa do Mundo de 2014, o Atlético-MG só disputou três partidas desde a sua reinauguração, no início deste ano, por não ter chegado a um acordo com os administradores do estádio. Essas três partidas foram válidas pelo Campeonato Mineiro, sendo apenas uma como mandante, contra o Villa Nova (2 a 1), pois o Independência estava indisponível.

Os outros dois jogos foram clássicos contra o Cruzeiro e em ambos o time perdeu por 2 a 1, na reinauguração do Mineirão e na finalíssima do Campeonato Mineiro - apesar dessa derrota, o time assegurou o bicampeonato estadual. Agora, no dia 24 de julho, o Atlético receberá o Olimpia e tentará conquistar no estádio o mais importante título da sua história.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.