Conmebol muda regulamento da Libertadores pela 2ª vez

A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) divulgou nesta terça-feira, em seu site oficial, mais uma mudança no regulamento da Copa Libertadores da América. É a segunda vez que isso acontece neste mês. A partir de agora, dois times de um mesmo país não poderão se enfrentar mais na decisão da competição, como aconteceu nas duas últimas edições - São Paulo x Atlético Paranaense, em 2005, e Internacional x São Paulo, em 2006. Para evitar uma final com equipes de mesma nacionalidade, a Conmebol estipulou que o confronto tem que acontecer na fase semifinal, independente da formação das chaves eliminatórias a partir das oitavas-de-final. O que o novo regulamento não explica é o que será feito caso as semifinais tenham três ou quatro clubes de um mesmo país - o Brasil conta com seis times no torneio e a Argentina, com cinco. A primeira mudança no regulamento, neste mês, já previa que equipes não filiadas à Conmebol - neste caso, os mexicanos - não poderiam se enfrentar numa final e, caso uma chegasse à decisão, o último jogo teria que acontecer em território sul-americano. As duas finais brasileiras foram as primeiras na história da Libertadores entre clubes de uma mesma nacionalidade. Até 1999, o regulamento previa que times do mesmo país deveriam se enfrentar até as quartas-de-final para que quatro equipes de nacionalidades diferentes chegassem ás semifinais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.