Conmebol multa clube uruguaio por racismo contra Gabriel Jesus

Nacional terá de pagar à entidade R$ 37 mil por ato de torcedor

O Estado de S. Paulo

07 de abril de 2016 | 16h56

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) multou o Nacional, do Uruguai, em R$ 37 mil como punição ao ato racista de um torcedor na partida contra o Palmeiras, no dia 17 de março, em Montevidéu, pela fase de grupos da Copa Libertadores. Um homem se levantou da arquibancada e imitou um macaco quando o atacante Gabriel Jesus estava perto da linha lateral.

O Palmeiras protocolou reclamações à Conmebol dias depois e a entidade decidiu aplicar a multa de US$ 10 mil. O clube enviou à organização imagens da transmissão do jogo para tentar uma punição ao time uruguaio. Apesar do valor a ser pago, o Nacional escapou de retaliações mais rígidas, como perdas do mando de campo. 

A decisão de multar o clube uruguaio veio do Tribunal de Disciplina da entidade, que acostuma aplicar sanções financeiras em casos de racismo. Outro episódio que envolveu o futebol brasileiro foi na Libertadores de 2014, quando o volante Tinga, do Cruzeiro, foi alvo de insultos durante jogo com o Real Garcilaso. A multa na ocasião foi de US$ 12 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.