Conmebol não pretende mudar a Libertadores em 2007

O presidente da Conmebol, Nicolas Léoz, afirmou nesta terça-feira que não cogita fazer alterações no regulamento e no sistema de disputa da Copa Libertadores para o ano que vem. O torneio deste ano contou com 38 clubes, incluindo dois do México, País afiliado à outra confederação, a Concacaf - que representa Américas Central e do Norte, além do Caribe. ?Ainda pretendo me reunir com os presidentes das federações de cada País, mas não vejo motivos para mudar nada para o próximo ano?, disse Léoz, durante evento promovido pela Toyota, num hotel de Porto Alegre. A empresa japonesa aproveitou para anunciar que manterá o patrocínio à Libertadores no ano que vem. A parceria já dura oito anos. Léoz disse também que não vê problemas no fato de o torneio ser decidido pela segunda vez consecutiva por duas equipes brasileiras. Antigamente, times de um mesmo País se enfrentaram nas primeiras fases de mata-mata para que não chegassem juntos à decisão. Foi por isso que Palmeiras e Corinthians, por exemplo, se encontraram nos torneios de 99 e 2000 antes da final. ?A maioria dos participantes considerou que não existe problema de dois clubes do mesmo país disputar a final, já que, com este regulamento, os times que chegam à final são os melhores do torneio?, disse Leoz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.