Conmebol quer punir Argentina

Descumprir um compromisso assumido e violar flagrantemente o regulamento da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). Este é o argumento dos organizadores da Copa América para retaliar a ausência da Argentina na disputa, realizada entre os dias 11 e 29 de julho, na Colômbia. A multa prevista para as equipes desistentes é de US$ 50 mil, além de suspensão por dois anos em todas as competições organizadas pela entidade.Um comunicado enviado pelo co-diretor do torneio, Alvaro Gonzalez Alzate, à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e às demais federações de futebol filiadas à Conmebol, pede aplicação de sanções disciplinares previstas no artigo 1º e 2º do regulamento da competição. ?Uma atitude tremendamente injusta e não solidária com um país filiado à Conmebol, colocando em dúvida a unidade do futebol?, diz o documento. A seleção argentina não participou da Copa América alegando falta de segurança.Acordo - A Conmebol ressalta que desde 1986 foi aprovada, em acordo com as demais federações, a obrigatoriedade de participação das seleções filiadas no torneio e que em 1992 ficou acertada a rotatividade nas sedes da competição: 1993 (Equador), 1995 (Uruguai), 1997 (Bolívia), 1999 (Paraguai), 2001 (Colômbia), 2003 (Peru), 2005 (Venezuela), 2007 (Argentina) e 2009 (Brasil).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.