Conmebol reduz punição de chileno por 'mão boba' de 3 para 2 jogos

A Conmebol diminuiu a punição do zagueiro Gonzalo Jara de três para dois jogos. Com isso, o defensor torce para que o Chile vença o Peru nesta segunda-feira e continue na competição para que ela cumpra a punição integral na Copa América. Desta forma, ele estaria liberado para jogar a estreia do Chile nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, em outubro.

ALMIR LEITE E GONÇALO JUNIOR, Estadão Conteúdo

29 de junho de 2015 | 17h33

A informação foi confirmada pela entidade no site da competição. A decisão foi tomada a partir de um recurso da Federação Chilena de Futebol. A Conmebol também decidiu reduzir a multa imposta ao jogador: o valor caiu de US$ 7,5 mil para US$ 5 mil (cerca de R$ 16 mil).

Na partida entre Chile e Uruguai, válidas pelas quartas de final, o zagueiro Jara provocou o uruguaio Edinson Cavani bulinando o ânus do rival. O árbitro, o brasileiro Sandro Meira Ricci, não viu o lance e expulsou apenas o uruguaio por ter revidado a provocação com uma tapa no rosto do chileno. A imagem teve repercussão mundial e motivou grande pressão dos dirigentes uruguaios. O chileno foi punido por "conduta violenta ou agredir jogadores".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa AméricaConmebolpunição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.