Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Conmebol sem definição sobre estádio

Integrante da comissão técnica da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), o brasileiro Hildo Nejar, confessou não saber como a entidade resolverá o problema de capacidade do Estádio Arena da Baixada para que o Atlético Paranaense possa realizar a primeira partida da decisão da Copa Libertadores, em seu campo, na quarta-feira.Para enfrentar o São Paulo no local, o time paranaense está construindo arquibancadas tubulares com o objetivo de atingir a capacidade mínima de 40 mil torcedores, exigida pelo regulamento, mas o dirigente não assegurou a eficácia à medida. "Não posso te dizer nada porque estou igual a você. Está tudo indefinido, porque é algo novo, nunca tivemos uma situação dessas", disse Nejar. "Agora, a solução tem que sair neste sábado porque o jogo já é na quarta-feira. Lamento que isto esteja ocorrendo." Nejar frisou que o fato de hoje não haver expediente tanto na Conmebol quanto na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), responsável por avisar aos clubes sobre o local da realização das partidas, não será um empecilho para a solução do impasse. Destacou que a entidade sul-americana poderá comunicar e fazer valer a sua resolução divulgando-a em seu site oficial.O integrante da comissão técnica da Conmebol ainda especulou que a demora na decisão sobre o Atlético-PR mandar seu jogo no Arena da Baixada pode estar ocorrendo porque os principais dirigentes da entidade estão viajando. O presidente Nicolas Leoz está na Europa, assim como o secretário-executivo, Eduardo Deluca."Só está lá um secretário que deve estar consultando todo mundo por telefone. E, como o assunto é novo, os integrantes do comitê executivo também podem ser ouvidos sobre o problema", falou Nejar. "Lembro que um dia antes de começar a Copa América do Peru (em 2004), eles estavam terminando de construir uma arquibancada para o estádio ser aprovado.Mas, ela era de concreto e não tubular. Não sei como vai terminar isso."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.