Natalia Aguilar /AP
Natalia Aguilar /AP

Conmebol tem 13 dias para definir plano de vacinação das delegações para a Copa América

Chile, Bolívia, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela já receberam a primeira dose do imunizante, enquanto Argentina, Brasil, Colômbia e Peru ainda precisam ser vacinados; imunização é exigência do Brasil para sediar o evento

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2021 | 10h31

As seleções do Chile, Bolívia, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela já receberam a primeira dose da vacina contra o coronavírus desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac. A Conmebol pretende ter todas as dez delegações participantes da Copa América 2021 vacinadas até o início do torneio. O pontapé inicial será dado no dia 13 de junho, portanto restam menos de duas semanas para Argentina, Brasil, Colômbia e Peru receberem o imunizante. As datas dos jogos serão confirmadas. 

Na tarde desta segunda-feira, após a Conmebol anunciar que o Brasil será sede da competição, o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, afirmou que a condição estabelecida pelo governo brasileiro para o País sediar a Copa América é que todos os integrantes das delegações participantes estejam vacinados.

"Caso se realize (a Copa América no Brasil), ela não terá público. No momento são dez times. Já foi acordado com a CBF em reunião por videoconferência de no máximo 65 pessoas por delegação. Todos vacinados. Foi a condição que nós tratamos com a CBF", disse o ministro sem responder peguntas dos jornalistas. 

Antes de entrarem em campo pela Copa América, as seleções sul-americanas jogam duas rodadas das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. A logística para a vacinação de jogadores será estabelecida nesse intervalo e respeitará a determinação sanitária de casa país. No caso da seleção brasileira, o imunizante não poderá ser aplicado em território nacional. Isso porque as vacinas que entram no país são direcionadas ao SUS. 

Marquinhos, Neymar e Lucas Paquetá, que atuam no futebol francês, já foram vacinados. Tite recebeu a segunda dose no último dia 14, enquanto o auxiliar Cleber Xavier e o preparador físico Fabio Mahseradjian receberam apenas a primeira dose. O Brasil vai a campo nesta sexta-feira, às 21h30, contra o Equador, no Beira-Rio. A CBF ainda não divulgou sua logística de vacinação. Os imunizantes foram adquiridos pela Conmebol por meio do governo do Uruguai. São 50 mil vacinas. É preciso tomar as duas doses para ser efetivamente protegido. É preciso ainda respeitar os prazos entre uma picada e outra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.