Divulgação
Divulgação

Conquista da seleção brasileira na Copa América de 2019 vira documentário

Série produzida pela Amazon Prime estreia nesta sexta-feira na plataforma de streaming

Marcio Dolzan, Estadao Conteudo

30 de janeiro de 2020 | 19h26

A conquista da Copa América por um viés mais humano e um pouco menos futebolístico é o tema de Tudo ou Nada: Seleção Brasileira, primeira série brasileira produzida pela Amazon Prime e que estreia nesta  sexta-feira na plataforma de streaming. Os produtores captaram mais de 800 horas de imagens para, em cinco episódios de cerca de uma hora cada, mostrar os bastidores do título conquistado pelo Brasil na edição do ano passado.

A série tem como grande trunfo um acesso ao cotidiano da seleção que há muito tempo não é concedido à imprensa - há anos que os períodos de treino na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), se assemelham a clausuras de monastérios. Em Tudo ou Nada, o espectador poderá ver pequenos trechos das preleções de Tite, a preparação para os jogos e aspectos do cotidiano de treinos dos jogadores.

Isso não quer dizer, no entanto, que a série traga alguma grande novidade. A proposta nem é bem essa. Como documentário que retrata os bastidores de uma conquista, o seriado tem como principal intenção mostrar que jogadores e comissão técnica também batalham a cada dia, têm suas famílias e seus percalços.

"Isso humaniza. As pessoas vão ver um outro lado do trabalho", comentou o técnico Tite, em entrevista concedida nessa quinta-feira. O treinador, que é adepto de treinos fechados e sempre procura resolver problemas com jogadores internamente, revelou que chegou a ser contra a presença de uma equipe de filmagem no dia a dia da Copa América. "Eu não era favorável. Nós estávamos num momento que era de filtrar e ficar canalizado em todas as nossas ações em cima de performance e de vencer. Porque nós vínhamos de uma desclassificação de Mundial contra a Bélgica e porque nós perdemos o Mundial em casa". Acabou cedendo e gostou do trabalho.

Dividida em cinco episódios, a série traz algumas imagens de jogos por ângulos diferentes aos que o espectador está habituado e muitas do dia a dia. Cenas prosaicas, como o trabalho de jogadores na academia, ganham em importância pelo olhar do diretor Felipe Briso - como quando ele procura enquadrar a expressão de dor de Thiago Silva ao fazer um exercício de força ou quando mostra o semblante de preocupação de Arthur após a lesão que sofrera no último amistoso antes da Copa América contra Honduras, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

O momento mais importante antes do início da competição, claro, também é relatado. A acusação de estupro que recaiu sobre Neymar - que acabou arquivada por falta de provas -, a tensa entrevista de Tite dois dias depois e o corte do jogador após a lesão sofrida no amistoso contra o Catar, em Brasília, são mostradas.

Sobre a ausência de Neymar da competição, os produtores dizem que ela não chegou a trazer preocupação sobre o impacto que poderia ter sobre a série. Ao contrário. "A gente pensou ‘que história, que virada!’. Começa dando uma guinada no roteiro. Tivemos um roteirista magnífico", brincou Briso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.