Rodrigo Sanches / Cruzeiro
Rodrigo Sanches / Cruzeiro

Conselho do Cruzeiro fará reunião para votar mudanças na SAF pedidas por Ronaldo, com inclusão do CT

Decisões sobre os rumos do futebol na equipe celeste serão tomadas no próximo dia 4 de abril

Redação, Estadão Conteúdo

19 de março de 2022 | 16h50

As mudanças solicitadas por Ronaldo Fenômeno no acordo para aquisição da SAF (Sociedade Anônima do Futebol) do Cruzeiro serão discutidas pelo Conselho Deliberativo do time em reunião extraordinária convocada para o próximo dia 4 de abril. O encontro servirá para que os conselheiros votem as alterações solicitadas pelo investidor para aquisição efetiva da SAF, o que não agradou aos dirigentes do colegiado e tem sido motivo de discussões entre as partes nos últimos dias.

Entre as solicitações feitas por Ronaldo estão: o arrendamento das Tocas da Raposa I e II, um pedido de recuperação judicial ou extrajudicial e a exploração das atividades de futebol do clube. Ronaldo argumenta que o motivo do pedido é proteger o patrimônio do clube de uma possível penhora diante das dívidas tributárias que são cobradas. Em contrapartida, Ronaldo assumiria o pagamento da dívida tributária, que, segundo o Conselho, está no valor aproximado de R$ 150 milhões e já foi renegociada e parcelada até 2032.

A reunião extraordinária convocada pelo presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, acontecerá a partir das 18h30, na segunda-feira, dia 4 de abril. A mesa do conselho deliberativo do Cruzeiro chegou a emitir uma nota oficial na última quarta-feira para se posicionar sobre o pedido e cobrar um reequilíbrio dos termos propostos pelo investidor. A nota define as alterações no acordo como "lesivas ao Cruzeiro e desproporcionais", além de citar que seriam excessivamente benéficas a Ronaldo.

Um dia depois, Ronaldo criticou os líderes do Conselho Deliberativo e a carta também foi rebatida pela XP Investimentos, empresa que faz a remediação do negócio. A empresa afirmou que há imprecisões técnicas e interpretações equivocadas no formato da proposta, mas disse que não poderia corrigir as informações por conta da confidencialidade do contrato.

ANDAMENTO DO ACORDO

Ronaldo assinou a intenção de compra de 90% das ações da SAF do Cruzeiro no dia 18 de dezembro. Foi estabelecido um prazo de 120 dias para diligências internas antes que o contrato definitivo seja assinado. Passados cerca de três meses, resta apenas um para a resolução dos impasses na negociação.

A direção relembrou que a proposta feita contempla um "aporte inicial de R$ 50 milhões" e também um compromisso de investimento de outros R$ 350 milhões, que poderá ser feito através do incremento de receitas ou de aporte direto durante a gestão de Fenômeno. De acordo com os líderes do Conselho, Ronaldo não assumiria qualquer valor da dívida inicialmente.

O ídolo cruzeirense chegou a afirmar que o Cruzeiro precisa seguir um caminho de estabilidade e ressaltou que o Conselho será soberano nas decisões. O ex-jogador também ressaltou que a lei das SAFs obriga que 20% das receitas sejam repassadas para quitação da dívida (somando todas as esferas) do clube. Segundo Ronaldo, este valor pode gerar mais de R$ 70 milhões em receitas repassadas para a dívida, número que teria sido ignorado na nota do Conselho.

ARGUMENTOS

Ronaldo usou suas redes sociais para explicar os motivos pelos quais reivindica mudanças no formato da SAF do Cruzeiro. O ex-atacante voltou a pontuar as necessidades que a empresa necessita para fazer com que o futebol funcione e tenha melhores resultados orçamentários a médio prazo.

"O Cruzeiro chegou a uma situação lamentável. Não sei o que vocês acham que deveria ser o preço. Da Google, da Amazon? Um time que deu prejuízo nos últimos cinco anos. Aqui não quero censurar ninguém, mas vamos ter um pouco de sensibilidade ao comentar um assunto que não dominam", afirmou.

"Não tem muita coisa que possa fazer agora. Nesse momento, depois de três meses de auditoria, a gente chegou a um consenso, uma estratégia final e acho que o melhor trabalho foi feito por especialistas, os melhores do Brasil, tanto na Alvarez & Marsal, quanto da XP, que está assessorando o Cruzeiro. Agora realmente a bola está com o Conselho do Cruzeiro. O Presidente do Conselho pediu o edital e, em 15 dias, eles votam em assembleia sobre minha proposta", concluiu Ronaldo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.