Conselho do Inter recomenda punição de 1 ano a sócios que depredaram Beira-Rio

Membros de torcida organizada foram identificados nos atos de vandalismo do dia 31 de julho

Estadão Conteúdo

29 Agosto 2016 | 18h38

O Conselho Deliberativo do Internacional recomendou nesta segunda-feira que sejam punidos com 12 meses de suspensão os sócios-torcedores e membros de torcida organizada que foram identificados nos atos de vandalismo do dia 31 de julho no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

No total, 12 torcedores tiveram os nomes divulgados em documento que foi reproduzido no site oficial do clube. Assinada pelo presidente do Conselho Deliberativo, Mário Sérgio Martins da Silva, o pedido de punição foi endereçado ao mandatário Vitório Piffero com caráter de urgência.

 

 

 

A medida foi tomada com base no inquérito policial e judicial, que contém como principal prova as imagens feitas pela televisão dos atos de vandalismo. O pedido final solicita a suspensão por 12 meses e proíbe os torcedores "a entrada no complexo Beira-Rio, Parque Gigante, centro de treinamentos ou qualquer local administrado pelo clube".

Os atos de vandalismo aconteceram após derrota por 1 a 0 para o Corinthians, no Campeonato Brasileiro. Na ocasião, foi a nona partida consecutiva do Internacional sem vitória. Indignados com a situação do clube, torcedores se dirigiram até o portão 1 do Beira-Rio para protestar contra a diretoria. Os mais exaltados arremessaram cavaletes contra as portas de vidro e destruíram carros que estavam estacionados no local.

Os protestos em nada adiantaram e a má fase do time colorado continua. No último domingo, ao empatar com o Sport em 1 a 1, no Recife, o Internacional chegou ao 14.º jogo sem saber o que é vencer no Brasileirão. De quebra, entrou para a zona de rebaixamento e hoje ocupa o 17.º lugar com 24 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.