Considerado favorito, Deschamps não quer este rótulo

De acordo com a imprensa europeia, o jogo entre França e Suíça é o confronto para definir quem será o primeiro do Grupo E

Fernando Faro - enviado especial a Salvador, O Estado de S. Paulo

19 de junho de 2014 | 20h23

Apontadas como favoritas no Grupo E da Copa do Mundo, França e Suíça fazem nesta sexta-feira, em Salvador, o que muitos consideram um duelo antecipado para saber quem terminará na primeira colocação do grupo, que também conta com Equador e Honduras. Líderes da chave pelo saldo de gol, os franceses não pensam na liderança por enquanto, pelo menos é o que diz o técnico Didier Deschamps.

"Hoje não, estaria desrespeitando a Suíça se pensássemos assim e estamos no segundo jogo. Ganhamos a primeira partida, a Suíça também e vai depender da partida de amanhã (sexta) e dos nossos adversários", afirmou o treinador.

Garantir a primeira colocação pode significar muito menos trabalho nas oitavas de final, isso porque o líder enfrentará o segundo colocado do Grupo F, da Argentina. A expectativa é que os sul-americanos fiquem em primeiro na chave e deixem o segundo posto para ser disputado por Bósnia-Herzegovina, Irã e Nigéria.

Apesar de contar com jogadores como Pogba, Benzema e Valbuena, Deschamos prevê uma partida bastante complicada contra os suíços. Ao analisar o adversário, o treinador lembra que eles se classificaram com tranquilidade nas Eliminatórias Europeias e hoje ocupam o sexto lugar no ranking da Fifa - a França é a 17.ª colocada.

É importante olhar para quem forma essa seleção, não é à toa que são número 6 no ranking e na cabeça de chave do nosso grupo. Vamos jogar contra um adversário de altíssima qualidade. Teremos que deixá-los cansados, exauridos", afirmou o técnico, que não quis falar a equipe que pretende mandar a campo. "Temos um jogo a cada cinco dias e os jogadores se conhecem muito bem, espero que os 23 estejam preparados, mas só 11 entram em campo. Espero que todos estejam prontos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.