Consórcio entrega Arena Fonte Nova ao governo baiano

O consórcio Odebrecht/OAS, responsável pela construção da Arena Fonte Nova, entregou ao governo da Bahia, no final da tarde desta sexta-feira, o novo estádio. A inauguração oficial, inicialmente marcada para 29 de março, dia do aniversário de Salvador, foi adiada para daqui a um mês, no dia 7 de abril, com um clássico Ba-Vi, válido pelo Campeonato Baiano. Com 99% das obras concluídas, a Fonte Nova entra em fase de testes dos seus equipamentos. Foram dois anos e sete meses de obras.

HELIANA FRAZÃO, Agência Estado

08 Março 2013 | 20h09

A Arena Fonte Nova é o terceiro estádio entre os que participarão da Copa das Confederações, este ano, e da Copa do Mundo, em 2014, a ficar pronto. O novo empreendimento é uma parceria público-privada (PPP) entre o governo do Estado e a Fonte Nova Negócios e Participações, concessionária formada por Odebrecht Participações e Investimentos e OAS.

"O estádio é um presente antecipado a Salvador pelo seu aniversário, no próximo dia 29, e para todos os baianos, apaixonados por futebol e grandes eventos", disse o governador Jaques Wagner, acrescentando o esforço do Estado para reconstruir o estádio, com um modelo PPP que, na opinião dele, deu certo.

Os eventos começaram pela manhã, logo cedo, quando as operárias que trabalharam na obra foram homenageadas pela passagem do Dia Internacional da Mulher. No final da tarde, houve um tour para a imprensa, que foi acompanhada pelo governador, e representantes do consórcio, sendo percorridas as novas dependências do estádio, que à noite se iluminou de lilás.

A nova arena baiana é um espaço multiuso, com capacidade para 50 mil pessoas. A antiga Fonte Nova foi interditada em novembro de 2007, quando, durante um jogo do Bahia, um degrau do anel superior desabou e sete pessoas morreram. As obras de demolição começaram 21 de junho de 2010 e a implosão no dia 29 de agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.