Constrangimento na chegada do Brasil

A seleção brasileira desembarcou na manhã desta quarta-feira em São Paulo. O clima era de constrangimento, depois da eliminação na Copa América com a derrota para Honduras na segunda-feira. Parte do grupo já tinha ficado no Rio de Janeiro, durante a escala do vôo, e o técnico Luiz Felipe Scolari seguiu direto para Porto Alegre, sem falar com a imprensa.Pouca gente foi ver o time do Brasil no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Mas, um torcedor chegou a discutir rapidamente com o zagueiro Cris. Além do jogador do Cruzeiro, Marcos, Alessandro, Dida, Guilherme, Alex, Ewerthon, Eduardo Costa, Belletti, Júnior, Roger, Jardel, Roque Júnior, Luisão e Denílson desembarcaram em São Paulo.A maioria dos jogadores preferiu manter o discurso já adotado na Colômbia. O argumento principal era que perder para Honduras não é uma vergonha. ?Vergonha é matar e roubar?, chegaram a dizer alguns deles.Quem admitiu a vergonha pela eliminação foi o goleiro Marcos, o mais contundente do grupo. ?A gente sempre fica envergonhado na derrota. Ainda mais para Honduras?, afirmou o jogador do Palmeiras, que aproveitou para dar um aviso ao País. ?O futebol brasileiro não pode mais ser considerado favorito. Virou mais um participante.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.