Maurizio Degl'Innocenti| AP
Maurizio Degl'Innocenti| AP

Conte desmente acerto com Chelsea e explica por que deixará seleção italiana

Ex-Juventus, técnico revela desejo de voltar a treinar time da Itália

Estadão Conteúdo

21 de março de 2016 | 13h24

O técnico Antonio Conte falou publicamente pela primeira vez depois do anúncio de que deixará a seleção italiana após a Eurocopa. Nesta segunda-feira, o treinador concedeu entrevista coletiva para explicar os motivos que o levaram a abdicar ao cargo e aproveitou para esclarecer os rumores sobre seu destino.

Conte admitiu que sente falta do trabalho diário de um clube, bem diferente do que tem na seleção. Este foi o principal motivo para o treinador pedir para ser liberado após a Eurocopa. Ele mesmo, no entanto, fez questão de garantir que não tem nenhum destino já acertado, desmentindo assim os rumores de que estaria de malas prontas para assumir o Chelsea a partir da próxima temporada.

"Eu não estou tentado por nada na Inglaterra, porque ainda sou o técnico da seleção nacional", explicou. "Para mim, foi uma experiência fantástica que me completou e me ensinou a otimizar o pouco tempo que tenho para trabalhar com os jogadores. Sempre invejei os treinadores que representaram a Itália e agora é minha vez."

Ex-técnico da Juventus, Conte afirmou que seu maior desejo é voltar a treinar um clube da Itália. "É difícil ser técnico da seleção por que passamos muito tempo na garagem", brincou. "Acho que eu poderia voltar e começar de novo com um time italiano."

Apesar do destino longe da seleção italiana, Conte garantiu foco máximo para tentar levar o país ao título europeu que não vem desde 1968. "Eu sinto um grande desejo de trabalhar. Estou animado com a competição em junho, ansioso. Sabemos que há outros times talvez mais fortes do que nós, mas podemos diminuir a diferença com trabalho duro", avaliou.

Tudo o que sabemos sobre:
EurocopaChelseaInglaterraItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.