Conter euforia e esquecer 98: as prioridades de Domenech

O técnico da França, Raymond Domenech, afirmou neste domingo que sua equipe deve conter a euforia da vitória sobre o Brasil por 1 a 0, neste sábado, que garantiu a classificação para as semifinais da Copa do Mundo, e esquecer o título obtido em 1998 para ter chances de conquistar sua segunda Copa do Mundo. "Vamos voltar ao trabalho e fazer com que todos voltem à realidade. Não vamos ver televisão, para fugir dessa euforia. Restam três dias antes da partida contra Portugal e vamos utilizá-los para retornar ao estado vivenciado antes do jogo contra o Brasil", prometeu Domenech, que manteve a rotina da equipe após a partida: os jogadores jantaram no aeroporto de Frankfurt e voltaram à concentração em Hameln. Evitar a TV é fundamental, segundo Domenech, para que os jogadores não vissem as imagens da festa que reuniu milhares de pessoas na Champs-Elysées, em Paris - semelhantes à da conquista do título, em casa, há oito anos, após outra vitória contra o Brasil, daquela vez por 3 a 0. Após a partida deste sábado, o presidente da França, Jacques Chirac, desceu até o vestiário para cumprimentar os jogadores. Para Domenech, recordar a primeira conquista não vai ajudar em nada na partida de quarta-feira, em Munique, contra Portugal. "Será outra partida, em um outro contexto. E nós temos outra equipe e outra história sendo escrita. Comparações só servem para aborrecer e os jogadores não querem isso", reclamou. "Um time só é bem-sucedido na Copa do Mundo quando é campeão. Para o lateral-direito Sagnol, o principal caminho para a França nos últimos dois jogos é explorar sua qualidade defensiva. "Não somos um time que domina totalmente as partidas, mas é difícil marcar gols em nós. O brasileiros tentaram, mas não conseguiram", disse o jogador.

Agencia Estado,

02 Julho 2006 | 15h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.