Rafael Ribeiro/Vasco.com.br
Rafael Ribeiro/Vasco.com.br

Contra a zona de rebaixamento e tabu, Vasco encara reservas do Cruzeiro no Rio

Cruzmaltino não vence mineiros em São Januário desde 2006

Estadão Conteúdo

14 Outubro 2018 | 06h34

O Vasco encara os reservas do Cruzeiro neste domingo, às 16 horas, em São Januário, com a vitória em mente para se distanciar um pouco da zona de rebaixamento e quebrar um tabu dentro do seu próprio estádio. O duelo é válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Vasco é o 15º colocado e está a apenas um ponto do Ceará, que abre a zona de rebaixamento. O time de Alberto Valentim, assim, precisa do triunfo, que não vem desde a partida contra o Bahia, para não voltar a figurar entre os quatro piores times do campeonato.

O time cruzmaltino tenta quebrar uma marca incômoda diante do Cruzeiro. Em São Januário, o Vasco não vence a equipe mineira desde 2006. Neste período, foram 6 vitórias cruzeirenses e um empate.

É possível que o técnico Alberto Valentim possa contar com dois reforços para a partida. O zagueiro Werley e o volante Raul voltaram a treinar normalmente com o elenco e têm chances de voltar a jogar. O primeiro já está liberado para atuar e o segundo, em fase final de recuperação.

Raul teve um estiramento de grau dois na coxa direita na partida contra o Flamengo, no dia 15 de setembro. A previsão inicial era de retorno em até quatro semanas. Werley, por sua vez, teve uma fissura no pé nos dias que antecederam o clássico com o arquirrival.

"Estou pronto para jogar. Foram três semanas que fiquei e já recuperei a força que havia perdido. Agora é trabalhar para dar conta do recado quando aparecer uma nova oportunidade", disse Raul.

O Vasco terá ainda o retorno do zagueiro Leandro Castán, que cumpriu suspensão contra o Botafogo. Por outro lado, o volante Willian Maranhão está fora da partida com o Cruzeiro, após receber o terceiro cartão amarelo.

O volante Desábato ainda é dúvida. Ele teve uma fratura no dedo mínimo do pé direito e voltou a correr no gramado nesta semana. No entanto, ainda sente dor no local e a ideia é somente retornar aos gramados quando estiver 100% fisicamente.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.