Johannes Eisele/AFP
Johannes Eisele/AFP

Contra espião, técnico sul-coreano diz que mudou números de jogadores em treino

'É muito difícil para ocidentais saberem a diferença entre asiáticos', explicou

Estadão Conteúdo

17 Junho 2018 | 14h06

Técnico da Coreia do Sul, Shin Tae-Yong garantiu que deu pouca importância para a tentativa de espionagem de um auxiliar da Suécia, que foi convidado a se retirar de um treino fechado da seleção sul-coreana na Áustria, antes da viagem da delegação para a disputa da Copa do Mundo na Rússia. O treinador assegurou que isso não foi uma surpresa para ele e que os jogadores do elenco treinaram com numeração trocada na oportunidade.

"É muito difícil para ocidentais saberem a diferença entre asiáticos", explicou Shin em coletiva de imprensa neste domingo. "Você sempre quer saber o que vai fazer um adversário. É algo que nossa comissão técnica faz. Não achei que foi errado da parte deles", afirmou o treinador, que vai comandar a seleção da Coreia do Sul contra a Suécia às 9 horas (de Brasília) desta segunda-feira, em Nijni Novgorod.

 

Sobre o VAR, utilizado pela arbitragem nas primeiras partidas da Copa para dar um pênalti para o Peru e um para a França, Shin diz que os jogadores da Coreia do Sul estarão preparado para a novidade tecnológica. "Eles estão cientes e nós treinamos para isso. Há 32 câmeras apontadas para o gramado. Você pode conseguir enganar o árbitro, mas não as câmeras. Já se tornou parte importante do jogo", disse o técnico.

Depois do confronto com a Suécia, a Coreia do Sul ainda vai enfrentar na primeira fase as seleções do México, ao meio-dia (de Brasília) do próximo sábado, em Rostov, e a Alemanha, às 11 horas (de Brasília) do dia 27, em Kazan.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.