Francisco Leong/AFP
Francisco Leong/AFP

Contra o paredão do Irã, aposta na boa fase de Cristiano Ronaldo

Atacante já marcou quatro gols na Copa do Mundo da Rússia e quer levar Portugal às oitavas de final

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

25 Junho 2018 | 05h00

Vice-artilheiro da Copa do Mundo, Cristiano Ronaldo é a esperança de Portugal para furar o paredão do Irã, seleção famosa por ter uma sólida defesa. O atacante já marcou quatro gols no torneio e está empatado com o belga Romelu Lukaku e apenas um gol atrás de Harry Kane, da Inglaterra. Seu poder de decisão pode ser determinante para garantir a classificação de sua equipe.

+ Portugal vai com 'luta e entrega' para bater Irã e chegar às oitavas, diz técnico

+ Queiroz promete Irã forte contra Portugal: 'Não somos perdedores simpáticos'

Em sua estreia na Rússia, Cristiano Ronaldo salvou Portugal da derrota no último minuto, ao marcar um gol de falta contra a Espanha. Naquela partida, ele foi fundamental com seus três gols para garantir o empate por 3 a 3. No duelo seguinte, contra Marrocos, ele fez o único gol do jogo, dando a primeira vitória ao time na competição.

Para o técnico Fernando Santos, seu craque e capitão pode desequilibrar sempre que estiver em campo. “O Cristiano Ronaldo faz a diferença aqui, no Real Madrid, no Manchester United, no Sporting e se ele for para outro clube, tenho certeza de que também vai fazer a diferença”, avisou o comandante.

Só que ele evita colocar a responsabilidade nos ombros de seu jogador. “Não será um duelo de Cristiano Ronaldo contra ninguém. Nem um encontro de treinadores”, comentou Santos, sobre o fato de o outro lado também contar com um técnico português, Carlos Queiróz.

 

Esta é a quarta participação de Cristiano Ronaldo na Copa do Mundo e ele está no auge. Em 2006, chegou a fazer gol e participou da boa campanha da equipe que terminou na quarta colocação. Quatro anos depois, na África do Sul, também fez um gol, mas caiu nas oitavas de final contra a Espanha.

No Mundial disputado no Brasil, em 2014, o atacante fez um gol, mas viu Portugal ser eliminado ainda na primeira fase, após campanha pífia. Depois dessa frustração, Cristiano Ronaldo comandou sua seleção na Eurocopa em 2016, na França, e mesmo tendo de sair machucado na decisão contra os donos da casa, viu o time ser campeão e levantou uma taça que faltava em seu currículo vitorioso.

Agora, ele sabe que Portugal está melhor preparado para a Copa na Rússia e não quer deixar o Irã atrapalhar seus planos. Para ele, o céu é o limite. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.