Lucas Merçon / Fluminense FC
Lucas Merçon / Fluminense FC

Contra o Santos, Fluminense quer encerrar sequência negativa no Brasileirão

Time enfrenta fase ruim dentro e fora de campo atualmente, com derrotas no Brasileirão e salários atrasados

Estadão Conteúdo

13 Junho 2018 | 08h54

Em meio a salários atrasados e a um novo momento de turbulência, o Fluminense recebe o Santos nesta quarta-feira, às 19 horas, no Maracanã, em busca de amenizar o clima pesado e dar fim à sequência negativa no Campeonato Brasileiro. O jogo é válido pela 12.ª rodada, a última antes da pausa para a Copa do Mundo da Rússia.

+ Pedro lamenta má fase do Fluminense e nega que equipe dependa dele

+ Santos enfrenta o Fluminense no Maracanã para evitar nova turbulência

Depois de chegar a flertar com o pelotão da frente, o Fluminense sofreu com o elenco enxuto para substituir desfalques importantes e acumula três derrotas consecutivas. Os resultados negativos deixaram o time carioca estacionado nos 14 pontos e longe das primeiras colocações.

Além do mau rendimento em campo, o Fluminense vive dias turbulentos fora dele, com a crise financeira que ganhou força novamente. Os jogadores estão com um mês de salários atrasados, além de dois meses de direitos de imagem.

Uma nova derrota, aliada à crise financeira e ao turbulento ambiente político no clube pode fazer com que o técnico Abel Braga peça demissão do cargo. Ele não ganhou os reforços que pediu e está insatisfeito no cargo depois de os dias de calmaria terem ido embora. Mesmo assim, o treinador costuma cumprir seus contratos até o final e nutre grande carinho pela torcida.

Para piorar, Abel tem desfalques importantes para o duelo. Gilberto torceu o tornozelo ao levar um pisão no jogo contra o Atlético-MG e dificilmente terá condições de atuar. Léo, substituto natural, também está machucado, o que pode fazer o treinador tricolor improvisar Matheus Norton no setor.

Por outro lado, Gum e Renato Chaves, poupados no último jogo em razão do desgaste físico, devem retornar à equipe, assim como Sornoza. Na frente, sem Marcos Junior, que só volta após a Copa, o parceiro de Pedro ainda é incerto. Como Matheus Alessandro está suspenso, Pablo Dyego deve ganhar a vaga.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.