Miguel Locatelli / Site Oficial Atlético-PR
Miguel Locatelli / Site Oficial Atlético-PR

Contra o Vasco, Atlético-PR confia em retrospecto em casa para reagir

Equipe rubro-negra tem demonstrado evolução sob o comando de Tiago Nunes

Estadão Conteúdo

29 Agosto 2018 | 06h48

O Atlético-PR está confiante que pode se afastar de vez da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Há cincos jogos sem perder, o time de Curitiba confia na sequência de jogos dentro de casa para se manter embalado. Depois de vencer o Flamengo, por 3 a 0, e Grêmio, por 2 a 1, o Atlético se prepara para receber o Vasco na Arena da Baixada, nesta quarta-feira às 19h30, em jogo adiado da 15ª rodada.

O retrospecto recente como mandante é animador. Após a Copa do Mundo, o Atlético-PR está invicto dentro de casa. São quatro jogos disputados na Arena, com três vitórias e um empate. Antes do Mundial os números eram preocupantes: duas vitórias e três derrotas.

Com tempo para trabalhar, o técnico Tiago Nunes conseguiu recuperar o elenco e hoje aparece com 21 pontos e dois jogos a menos que os concorrentes - além do Vasco, teve uma rodada adiada contra a Chapecoense, remarcada para o dia 13 de setembro.

Para este jogo, porém, o treinador não vai poder contar com Nikão, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. É provável que Bruno Nazário ganhe uma oportunidade no time principal, porque ele tem sido utilizado sempre durante o decorrer dos jogos. Mas Tiago Nunes não quis adiantar a escalação. "Precisamos da força do elenco. Todos estão treinando bem e tenho a convicção que quem for entrar pode dar conta do recado e manter a regularidade", avaliou o técnico.

Depois, Tiago Nunes aproveitou para comentar sobre o que espera deste jogo: "É outro confronto difícil. O Vasco vem de um empate com o Atlético Mineiro (0 a 0) e uma vitória em casa (3 a 1 na Chapecoense). Tem a mudança de treinador, que motiva os atletas. É uma equipe muito tradicional e está crescendo de produção. Nós estamos em um nível alto de confiança. Dentro de casa, com o apoio do torcedor, criamos a expectativa de jogar bem e buscar a vitória", concluiu o treinador.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.