Vitor Silva/SSPress/Botafogo
Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Contra rebaixamento, Zé Ricardo quer fim do jejum de vitórias no Botafogo

'É vencer ou vencer no domingo', diz o treinador

Estadão Conteúdo

02 Novembro 2018 | 21h26

Há cinco jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro, o Botafogo busca um triunfo com urgência para poder se afastar da zona de descenso do torneio. O time treinado pelo técnico Zé Ricardo tem 35 pontos, apenas um a mais do que a Chapecoense, que tem a melhor campanha entre as equipes que estariam sendo rebaixadas neste momento (em 17.º lugar).

"A gente está muito determinado para que isso ocorra (fim do jejum). Tivemos uma queda nos últimos jogos, mas a semana foi positiva, tenho certeza que vamos fazer um grande jogo para conseguir uma grande vitória", disse Zé Ricardo em entrevista coletiva nesta sexta-feira, após treino do elenco.

O jogo neste domingo será contra o Corinthians, no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, em duelo contra um adversário que tem apenas quatro pontos a mais que o Botafogo. "É vencer ou vencer no domingo. Tem que ter organização, o Corinthians é uma equipe perigosa, vice-campeã da Copa do Brasil, chegou por méritos. Está em uma fase de tentar recuperar os pontos por ter optado jogar com uma formação alternativa devido à Copa do Brasil. Não temos alternativa a não ser vencer porque o campeonato se aproxima do final", disse o treinador botafoguense.

O centroavante Kieza, que sente dores no pé direito, voltará a ser desfalque para Zé Ricardo. "Ele está se recuperando, começando a vir para campo, mas prefiro esperar para ver se vai para o jogo ou não", disse o técnico, que admitiu que a experiência de Jair Ventura com o elenco do Botafogo é uma desvantagem.

"Tem um pouquinho de segredo porque o Jair conhece nosso elenco. Se falar o que está definindo para iniciar, ele vai ter uma saída melhor por conhecer muito bem. Teremos as ausências dos que estão emprestados pelo Corinthians (Moisés e Yago), por força de contrato. E do Luiz Fernando e Marcelo Benevenuto, suspensos", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.