J.F. Diório/Estadão - Arquivo
J.F. Diório/Estadão - Arquivo

Contra Sport, Corinthians vai atrás de criatividade no Recife

Mano Menezes espera que seu meio-campo esteja mais inspirado na Ilha do Retiro

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2014 | 07h30

SÃO PAULO - O problema é antigo: o Corinthians tem falhas na criação no meio de campo que deságuam no ataque. O time marca poucos gols. Como resolver isto é uma tarefa que cabe ao técnico Mano Menezes. Para enfrentar o Sport, na Ilha do Retiro, ele mexeu na equipe mais uma vez.

Guerrero e Romarinho devem formar a dupla de ataque. A função de Romarinho, em tese, é a ajudar o peruano, que passa a maior parte dos jogos brigando com zagueiros do que com a bola nos pés.

“Há quase um ano não chega (a bola no Guerrero). E ainda não conseguimos resolver isso. Mudamos sistemas, mudamos jogadores”, afirmou Mano. Para o jogo deste domingo o técnico treinou com Romarinho no lugar de Renato Augusto, um jogador que não emplaca e que a diretoria adoraria negociar – embora diga o contrário.

Foi a principal mudança em relação à equipe que empatou com o Atlético Paranaense (1 a 1). A sequência de vitórias já dura três rodadas. Mano apontou uma característica de sua equipe que talvez explique porque o setor de criação apresente problemas: às vezes, falta calma aos jogadores.

“Em determinados momentos tomamos a bola e queremos avançar muito rápido. Escolhemos a pior maneira. Muitas vezes a equipe precisa trabalhar melhor a bola para desestabilizar a marcação do adversário.” Esse erro ficou muito claro no jogo contra o Atlético Paranaense. Nesse ponto, o técnico tem razão. Romarinho, contudo, está longe de ser um carregador de bola. Ele costuma jogar aberto pela esquerda, correr e apostar na jogada individual.

Mas Mano está sem saída. Renato e Jadson não atuarem bem juntos. Elias e Lodeiro só podem jogar depois da Copa do Mundo. Romarinho é uma opção factível. Especialmente se o Sport partir para cima e der espaço para o contra-ataque.

“Mas não podemos ficar esperando o Sport jogar. Temos de ser agressivos e tomar a bola no campo de ataque”, falou Mano, que disse uma frase no mínimo curiosa após o empate contra o Atlético Paranaense. “Neste momento tem sido melhor jogar fora de casa, estamos com dificuldade de propor o jogo.”

Mano ouviu muitas críticas depois do empate de quarta-feira. Os mais exaltados cobravam sua saída do cargo, algo impensável com o presidente Mário Gobbi no comando do clube.

O técnico do Corinthians tem três jogos para tentar por o time nos eixos e recuperar os pontos perdidos, assim teria tranquilidade durante o período de recesso do Brasileiro.

RIVAL

O Sport também não vence há três jogos. O técnico Eduardo Baptista, filho do ex-técnico do Corinthians, Nelsinho Baptista, vai repetir o time que perdeu para o Cruzeiro no meio de semana. Eduardo já disse que espera um Corinthians mais veloz, mas afirmou que sua equipe vai tentar se impor jogando na Ilha do Retiro.

FICHA TÉCNICA

Sport: Magrão; Patric, Ferron, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Rithely, Augusto César e Renan Oliveira; Leonardo e Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista.

Corinthians: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Petros e Jadson; Romarinho e Guerrero. Técnico: Mano Menezes.

Árbitro: Péricles Bassols (RJ)

Local: Ilha do Retiro, no Recife (PE)

Transmissão: Globo e Band

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.